24 abr 2001 - 0h31

Diretoria sente a perda do ídolo Caju

O presidente do Atlético, Marcus Coelho, sentiu muito a perda do jogador. “É profundamente lamentável a perda daquele que foi o maior ídolo da história atleticana”, disse emocionado o presidente. Para ele, Caju foi um exemplo de atleta, dedicando a sua vida inteira ao Furacão. “Com a sua morte, Caju deixa um exemplo de amor, paixão e fidelidade pelo Atlético Paranaense”, declara. O filho de Caju, Alfredo Gottardi Júnior, define o seu pai como uma pessoa humilde e simples. “Me sinto lisonjeado de ser filho de uma pessoa reverenciada no Atlético. O CT do Caju, que recebeu o seu nome, ainda quando ele era vivo, é a maior prova de carinho do Clube pelo meu pai”, diz ele. Alfredo lembra que seu pai nunca se deixou levar pela vaidade. “Mesmo na seleção brasileira a sua característica de homem humilde sempre permaneceu”, constatou Alfredo Gottardi Júnior, considerado o melhor 4º zagueiro da história atleticana.



Últimas Notícias

Notícias

De novo a dupla Fla x Flu

Há jogos que mesmo não sendo decisivos acabam sendo marcantes. Lógico que uma final, uma partida que valha vaga para uma fase aguda de uma…

Notícias

Adeus, professor Vadão

Hoje (25) à tarde faleceu Oswaldo Alvarez, o Vadão, que estava internado tratando um câncer no fígado. A notícia vem logo após um domingo nostálgico…

Memória

2002 COM MUITA PAZ

Na tarde do dia 23 de Dezembro de 2001, o Furacão conquistava o seu primeiro título nacional! A partida final, em São Caetano do Sul,…