24 abr 2001 - 0h31

Diretoria sente a perda do ídolo Caju

O presidente do Atlético, Marcus Coelho, sentiu muito a perda do jogador. “É profundamente lamentável a perda daquele que foi o maior ídolo da história atleticana”, disse emocionado o presidente. Para ele, Caju foi um exemplo de atleta, dedicando a sua vida inteira ao Furacão. “Com a sua morte, Caju deixa um exemplo de amor, paixão e fidelidade pelo Atlético Paranaense”, declara. O filho de Caju, Alfredo Gottardi Júnior, define o seu pai como uma pessoa humilde e simples. “Me sinto lisonjeado de ser filho de uma pessoa reverenciada no Atlético. O CT do Caju, que recebeu o seu nome, ainda quando ele era vivo, é a maior prova de carinho do Clube pelo meu pai”, diz ele. Alfredo lembra que seu pai nunca se deixou levar pela vaidade. “Mesmo na seleção brasileira a sua característica de homem humilde sempre permaneceu”, constatou Alfredo Gottardi Júnior, considerado o melhor 4º zagueiro da história atleticana.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vamos, Ó Meu Furacão…

O Athletico vive situação delicada no Brasileirão, na zona de rebaixamento. A equipe buscava reagir – eram oito jogos sem triunfos (três empates e cinco…

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…