24 nov 2001 - 21h12

Artilharia pesada

O Atlético enfrenta o Guarani na tarde deste domingo pensando apenas na vitória. Depois de duas derrotas consecutivas em partidas fora de casa (intercaladas por uma vitória na Baixada contra o Sport), o Furacão pega o desclassificado Bugre com o objetivo de garantir sua colocação entre os quatro melhores da primeira fase.

Segundo os cálculos do técnico Geninho, o Atlético precisa atingir 50 pontos para ficar entre os quatro. Ou seja, basta uma vitória para que o objetivo se concretize. A partir disso, o clube buscará a vice-liderança, uma vez que a primeira colocação é um sonho muito distante.

Para buscar a vitória, o Atlético não abrirá mão de seu ofensivo esquema, com dois meias que chegam ao ataque para ajudar a dupla formada por Alex Mineiro e Kléber. Sem poder contar com o titularíssimo Kleberson, cumprindo suspensão automática, Geninho escalará o jovem Rodriguinho.

O jogador teve a mesma tarefa no jogo contra o Sport. Apesar de não ter jogado mal, o meia não agradou em cheio ao torcedor, ainda mais porque o time não atuou bem naquela partida.

Além de Kleberson, o Atlético não terá Souza, afastado da equipe há vários jogos e Alessandro, que sente uma contusão no tornozelo direito. Adriano continua no meio e Rogério Souza entra na lateral.

O restante do time é o considerado titular, inclusive com as voltas do goleiro Flávio, dos zagueiros Nem e Gustavo e do volante Cocito. A principal esperança da torcida consiste na dupla de ataque, que já tem 24 gols neste Brasileirão.

Guarani

Já desclassificado, a única motivação do Guarani para a partida será a de desbancar um dos melhores times da competição. O técnico Zé Mário escalou três volantes para barrar o Furacão em seus domínios: Henrique, Sangaletti e Alexandre.

O Bugre não terá os meias Fumagalli e Eduardo Marques, ambos ex-Santos e responsáveis pela armação das jogadas. Em compensação aos três volantes, Zé Mário manda para campo um trio atacante: Léo, Sinval e Marcinho.

Do time de Campinas, a torcida atleticana conhece bem o goleiro Gilberto e o atacante Sinval, ex-coxas, e o zagueiro Marcelo Sousa, que teve uma passagem pelo rubro-negro.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…