5 fev 2002 - 20h45

Atlético perde para o Bolívar

Em um jogo anormal, o Atlético jogou muito mal e perdeu para o Bolívar, de La Paz, por 2 x 1 na noite desta terça-feira na Arena da Baixada. Foi a estréia do Furacão na Libertadores 2002 e a segunda derrota do rubro-negro em sua história na competição. Jogando mal como há muito não se via, o Atlético foi prejudicado pela nova bola da Penalty, muito leve e veloz.

Sem contar com Kleberson, na Seleção Brasileira, o técnico Geninho optou pela escalação de Fabrício. A opção, que parecia ser a mais sensata, mostrou-se ineficaz, uma vez que Fabrício não ajudou na marcação e o Atlético perdeu o duelo na meia-cancha.

O time boliviano abriu o marcador logo aos 9 minutos do primeiro tempo. Em um contra-ataque, vários espaços foram deixados na defesa atleticana e os adversários tocaram a bola sem sofrer pressão alguma. O meia Olivares ficou livre na área e chutou bem, sem chances para Flávio.

O gol parece ter acordado o Atlético, que jogou com base na empolgação. O gol de empate saiu aos 36 minutos. Depois de um escanteio do Bolívar, Fabrício tocou para Kléber, que avançou e lançou Fabiano na ponta-esquerda. O lateral cruzou bem e Alex Mineiro só escorou, de dentro da pequena área.

Mesmo assim, o Atlético não conseguiu a virada e acabou levando outro gol. No finalzinho do primeiro tempo, o atacante Botero cabeceou livre uma cobrança de escanteio e marcou aquele que seria o gol da vitória. Flávio ainda tentou defender, mas só agarrou a bola quando ela já havia passado a linha.

A torcida, que estava apoiando o time mesmo depois dos gols, passou a ficar impaciente com a incrível quantidade de passes errados. Notava-se claramente que a bola era extramente leve e rápida e, por muitas vezes, passava longe dos atletas nos passes de seus companheiros.

Para o segundo tempo, Geninho trocou Fabrício por Leonardo, tentando reforçar o meio. A tática foi por água abaixo aos 10 minutos, quando Cocito foi expulso após tomar o segundo amarelo. Mesmo assim, o Atlético tentou pressionar, alçando diversas bolas na área, todas interceptadas pela zaga.

Geninho ainda colocou Ilan (em lugar de Kléber) e Adauto (no de Wellington Paulo), mas nem assim o time criou mais chances. A melhor oportunidade ocorreu no finalzinho do jogo. Adriano cobrou falta e Leonardo tentou de bicicleta, mas o goleiro defendeu o chute.

O melhor jogador em campo foi o meia Adriano. Vários decepcionaram, casos de Alessandro, Fabrício, Kléber e Alex Mineiro. O Atlético volta a jogar na Libertadores no dia 19, contra o Olmedo, no Equador.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…