14 mar 2002 - 23h20

Fabrício quer mostrar o seu valor

Desde o final de janeiro no Atlético Paranaense, o meia-esquerda Fabrício, 22 anos, veio do América Mineiro com um único objetivo: mostrar o seu valor para a torcida atleticana e para o técnico e assim conquistar um lugar entre os titulares. Até agora Fabrício jogou seis partidas, dentre as 11 que o Atlético fez desde a sua chegada (sendo apenas duas como titular).

Sua estréia foi contra o Mamoré. O Rubro-Negro venceu por 3 a 0 e Fabrício deixou sua marca cobrando uma falta (sua principal característica). “Foi um lance muito oportuno e fiquei bastante contente de logo no meu primeiro jogo poder marcar e ajudar o Atlético a vencer”, falou Fabrício que, dos 26 gols já marcados na sua carreira, 15 foram em cobranças de falta.

Nem mesmo a atual fase conturbada pela qual vive o Atlético intimida o jogador a estar entre os preferidos do treinador. “Sou um jogador novo mas não sou inexperiente. Passei por dificuldades semelhantes no América e ajudei a equipe a se superar, por isso acredito que também posso ajudar o time a sair dessa”, disse. Ele lembra que a ausência de Adriano diante do Olmedo (na próxima terça-feira) pela Libertadores de América pode ser a sua chance de se firmar na equipe. “Se for chamado pelo Geninho, vou dar o melhor de mim”. Sua última partida foi contra o Coritiba, na vitória atleticana por 2 a 0.

Para ele, uma das dificuldades para a sua afirmação entre os titulares é a existência de dois bons meias (Kléberson e Adriano) que o Atlético tem hoje. “O Kléberson é jogador da seleção brasileira e o Adriano é bastante técnico, mas isso não me intimida, ao contrário, me estimula a treinar mais e mais”, afirmou o jogador.

Mineiro de Divinópolis, ele ainda está se adaptando à capital paranaense. Fabrício mudou-se sozinho para Belo Horizonte aos 13 anos e ficou morando na concentração do América até se profissionalizar aos 18 anos. “Curitiba é uma cidade muito bonita e estou adorando morar aqui. Estranho um pouco a relação com o torcedor e com a imprensa, já que em Belo Horizonte eu era bastante conhecido pelo destaque que tinha como jogador do América”.

Em apenas quatro anos anos como profissional, Fabrício ganhou vários prêmios. Em 1999, o Prêmio Rede Globo de melhor lateral-esquerdo do Campeonato Mineiro e o Troféu Cafunga (revelação do estadual de Minas). Em 2000 foi considerado o melhor lateral-esquerdo do Campeonato Mineiro e, em 2001, recebeu o Prêmio Rede Globo desta vez como o melhor meia-esquerda do Campeonato Mineiro. No mesmo ano foi eleito o melhor meia-esquerda e craque do Campeonato Mineiro.

Números de Fabrício no Atlético Paranaense

Jogos Sul-Minas: 4
Gols: 1
Cartão amarelo:1
Cartão vermelho: nenhum

Jogos Libertadores: 2
Gols: nenhum
Cartão amarelo: nenhum
Cartão vermelho: nenhum

Fonte: Fd assessoria



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…