7 abr 2002 - 17h57

ATLÉTICO JOGA BEM, MAS SÓ EMPATA

Atlético e Grêmio empataram em 2 x 2 em jogo disputado neste domingo na Arena da Baixada, em Curitiba. Os quatro gols foram marcados na primeira etapa da partida, que levou cerca de 11 mil torcedores ao estádio.

O Atlético jogou bem, mas vacilou na defesa em alguns momentos e acabou sofrendo gols em falhas dos zagueiros. Com esse resultado, o Atlético Mineiro se manteve na vice-liderança da Sul-Minas. Juntamente com o Galo, Atlético e Grêmio dependerão de seus resultados na última rodada para se classificarem. O Tubarão correrá por fora, esperando um tropeço de algums dos três.

O primeiro gol gremista foi assinalado logo no início da partida. O lateral-esquerdo Gilberto invadiu a área, não foi parado por Gustavo e chutou para o gol. Flávio fez uma ótima defesa, mas a bola acabou voltando para a meta e Luisinho Netto chegou atrasado para tirar. A impressão era de que o lateral fosse chegar a tempo, mas ele foi lento na jogada e só chutou a bola quando ela já havia ultrapassado a risca.

O Atlético não ficou abatido e passou a pressionar o tricolor gaúcho, que se fechou em uma retranca. Aos 19 minutos, Kleberson cruzou para a área e o zagueiro Rogério Corrêa cabeceou de modo certeiro para empatar o jogo.

Mesmo com as críticas, o atacante Kléber esteve bem no jogo. Participou de vários lances e criou boas jogadas ofensivas. O segundo gol atleticano foi de seu companheiro de ataque, Adauto. O zagueiro Claudiomiro recuou uma bola para Eduardo Martini, mas Adauto foi mais veloz, interceptou o passe, driblou o goleiro e tocou para o o gol.

O curioso do lance foi que Adauto comemorou o gol antes mesmo de a bola entrar. Logo depois de driblar Eduardo, Adauto ergueu os braços e só depois chutou para o fundo das redes.

A euforia tomou conta do time, que sofreu o empate quando ainda estava comemorando a virada. George cruzou da direita e Luiz Mário desviou, no cantinho de Flávio.

No segundo tempo, o Atlético pressionou mais ainda, mas não conseguiu o terceiro. Geninho colocou Alessandro, Dagoberto e Reginaldo Vital nos lugares de Luisinho Netto, Kléber e Fabrício. O time cresceu de produção, com vários dribles da vaca de Alessandro.

Adauto quase marcou seu segundo gol em um chute fortíssimo que Eduardo defendeu à queima-roupa. Depois, o zagueiro Nem arriscou de fora da área e acertou uma bomba no travessão.

A lamentar, apenas a péssima arbitragem de Márcio Rezende de Freitas, que deixou de marcar um pênalti em Kleberson no segundo tempo e inverteu várias faltas.

ATLÉTICO: Flávio; Luisinho Netto (Alessandro), Gustavo, Nem, Rogério Corrêa e Fabiano; Cocito, Kleberson e Fabrício (Reginaldo Vital); Kléber (Dagoberto) e Adauto. Técnico: Geninho.

GRÊMIO: Eduardo Martini; Gavião, Mauro Galvão e Claudiomiro; George, Emerson, Fernando, Zinho (Valdo) e Gilberto; Grafite (Rodrigo Fabri) e Luís Mário (César). Técnico: Tite.

Local: Arena da Baixada

Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (Fifa-SC)

Público: 11.037 pagantes

Cartões amarelos: Cocito, Gustavo, Kleberson e Rogério Corrêa (Atlético-PR); Grafite e Gavião (Grêmio)



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…