14 abr 2002 - 17h04

DAGOSHOW FAZ MILAGRE

O Atlético fez um jogo histórico na tarde deste domingo. O rubro-negro foi até Belo Horizonte e derrotou o América Mineiro por 4 x 3, de virada, conseguindo sua classificação para as semifinais da Copa Sul-Minas. O milagre da partida se deu não em função do resultado, mas sim por causa dos fatores que envolveram o jogo.

O Atlético jogou mal, teve dois jogadores expulsos e perdia por 3 x 1 até os 30 minutos do segundo tempo. Qualquer resultado diferente de uma vitória eliminaria o Furacão da competição. Pois o time não precisou nem de 15 minutos para marcar três gols no América e vencer a partida.

O grande destaque, sem dúvida alguma, foi o garoto Dagoberto. Ele marcou três gols e fez sua partida mais impressionante desde que estreou no time profissional, no ano passado.

Dagoberto foi decisivo para a vitória rubro-negra. O jovem atacante, de somente 19 anos, foi um herói. Marcou três golaços, incluindo um em cobrança de falta.

O Atlético entrou apático na partida. Logo aos 10 minutos, o veloz Rinaldo, que já jogou por aqui, fez a festa na defesa atleticana e tocou para Edson abrir o marcador. O campeão brasileiro não era sombra do time ameaçador de 2001. Tentou alguns ataques com Kléber e Adriano, mas não conseguiu empatar. O América ampliou com um golaço de Lenilson, novamente após um carnaval em cima do lado esquerdo da defesa.

Aos 46 minutos, um lampejo de bom futebol reacendeu as esperanças do torcedor. Dagoberto pegou a bola na meia-cancha e arriscou um chute de fora da área. O tiro saiu preciso, à esquerda de Fabiano.

O Atlético voltou para a segunda etapa com Reginaldo Vital em lugar de Nem, alterando o esquema para o 4-4-2. Vital entrou muito bem e arriscou vários chutes de longa distância, ameançando Fabiano. Aos 10 minutos, Fabrício tratou de deixar o time com um a menos.

Completamente desequilibrado, o meia agrediu um adversário e reclamou ostensivamente do assistente da arbitragem. Foi o suficiente para levar o cartão vermelho e deixar a situação atleticana ainda mais dramática.

Aos 25, o América ampliou com um gol de Robson, mas o pior ainda estava por vir. Alguns minutos depois, o Cruzeiro sofreria o segundo gol do Tubarão no Mineirão. Com essa combinação de resultados, o Atlético seria eliminado mesmo que chegasse ao quase inatingível empate.

Mesmo assim, o time foi valente e teve Dagoberto inspirado. Geninho partiu para cima. Colocou Alex Mineiro em lugar de Kléber e Ilan no de Luisinho Netto. O treinador sabia que seu emprego dependia do resultado.

Quem acabou decidindo foi Dagoberto. Com as ausências de Luisinho, Kleberson e Fabrício, o jovem atacante revelou coragem e pediu para cobrar uma falta na entrada da área. O chute não saiu perfeito; a bola foi meia altura e passou pelo meio da barreira. Mesmo assim, os méritos de Dagoberto são totais. Ele decidiu a partida.

Seu terceiro gol saiu em uma linda jogada, na qual driblou três zagueiros antes de se livrar do goleiro e bater para o fundo das redes. Tudo começava a dar certo para o Atlético, mas Cocito foi expulso logo no reinício do jogo.

No finalzinho, Alex Mineiro recebeu lançamento e tocou para Ilan dentro da área. Ele girou em cima do zagueiro e bateu por baixo de Fabiano, classificando o Furacão.

América-MG: Fabiano; Edson (Rogério), Max, Diguinho e Michael; Alexandre Silva, Vitor, Fael e Lenílson; Rinaldo (Robson) (Emerson) Técnico: Jair Pereira.

Atlético: Flávio; Luisinho Netto (Ilan), Gustavo, Nem (Reginaldo Vital), Wellington Paulo e Fabiano; Cocito, Fabrício e Adriano; Dagoberto e Kléber (Alex Mineiro). Técnico: Geninho.


Estádio: Independência, Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Etevaldo Batista Araújo (DF)

Cartões amarelos: Michael, Max, Cocito, Fabiano e Gustavo

Cartões vermelhos: Claudinho (banco), Fabrício e Cocito



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…