5 maio 2002 - 18h43

ATÉ QUE FICOU BARATO

O Atlético não conseguiu superar o Cruzeiro e acabou derrotado por 2-1 pela equipe mineira. Com esse resultado o rubro-negro vai ter que vencer por dois gols de diferença, no próximo domingo, no Mineirão, para levantar o caneco da Sul-Minas. A vitória por um gol, leva a final para os pênaltis.

O jogo começou com chances para os dois lados. Enquanto o Atlético explorava as jogadas de lateral com Alessandro e Fabiano, Edílson e Fábio Júnior causavam um estrago na zaga rubro-negra.

A melhor chance do Atlético no primeiro tempo foi aos 18 minutos. Kléberson chutou de longe, a bola bateu na trave, nas costas de Jefferson e quase entrou.

O Cruzeiro respondeu aos 30 minutos. Edílson fez boa jogada e cruzou para Sorín que, sem nenhuma marcação por perto, tentou marcar de bicicleta e falhou na finalização.

Já nos acréscimos do primeiro tempo, o Cruzeiro perdeu um jogador. Vânder fez falta por trás em Adriano e recebeu o segundo cartão amarelo. Marco Aurélio, técnico cruzeirense, invadiu o campo para reclamar e também foi expulso.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo. O Atlético não conseguia impôr a vantagem de um jogador. Eram poucas as oportunidades de gol pelo lado paranaense. Aos 12 minutos, Edílson recebeu livre na área e foi derrubado pelo zagueiro Wellington Paulo, expulso na seqüência. O próprio Edílson cobrou a penalidade e marcou o primeiro para o time mineiro.

O Atlético se perdeu em campo e passou a jogar com Cocito e Rogério Corrêa na zaga. Corrêa esqueceu do setor defensivo e foi para o ataque, deixando Edílson livre de marcação para armar o contra ataque. E foi assim que o Cruzeiro chegou ao segundo gol. Edílson passou por Cocito e tocou para Fábio Júnior só completar.

O Cruzeiro ainda teve mais uma grande chance de ampliar aos 28 minutos. Sorín recebeu livre, dentro da área, dominou a bola, observou Flávio e chutou. A zaga conseguiu chegar a tempo para abafar o chute e evitar o terceiro gol.

Partindo para o tudo ou nada, Reginaldo Vital, Ilan e Ígor entraram nos lugares de Flávio Luís, Kléber e Cocito, respectivamente. O time melhorou de produção e chegou ao gol do Cruzeiro aos 40 minutos. Ricardinho derrubou Ilan dentro da área. Pênalti cobrado e convertido por Alex Mineiro. O gol incendiou o Caldeirão, completamente lotado. A torcida empurrou o time que quase chegou ao empate. Na cobrança de escanteio pela esquerda, Ilan dominou a bola na pequena área e chutou para fora.

Em seguida, o árbitro Paulo Cesar de Oliveira, encerrou a partida.

Ficha técnica

Atlético-PR 1 X 2 Cruzeiro

Local: Estádio Arena da Baixada

Público e Renda: não divulgados
Árbitro Paulo César de Oliveira (Fifa-SP)

Cartões amarelos: Rogério Corrêa, Cocito, Flávio Luís e Fabiano (Atlético-PR); Maicon, Sorín, Ricardinho e Jussiê (Cruzeiro)
Cartões vermelhos: Vander (Cruzeiro); Wellington Paulo (Atlético-PR)
Gols: Edilson, aos 13min, Fábio Junior, aos 20min, e Alex Mineiro, aos 39min

Atlético-PR: Flávio, Wellington Paulo, Rogério Corrêa e Cocito (Igor); Alessandro, Flávio Luís (Reginaldo Vital), Kléberson, Adriano e Fabiano; Alex Mineiro e Kléber (Ilan). Técnico: Geninho.

Cruzeiro: Jeferson, Maicon, Luisão, Marcelo Batatais e Sorín; Fernando Miguel, Ricardinho, Vânder, Jussiê (Recife); Edilson e Fábio Junior (Lúcio). Técnico: Marco Aurélio.

Fotos: Valterci Santos



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…