30 maio 2002 - 17h50

PRIMEIRO SET: 6/1

Parecia o Campeonato Brasileiro de 2001. O Atlético passeou em campo e meteu 6 x 1 no Paraná, maior goleada sofrida pelo tricolor em toda a sua história. Foi a primeira vez que o Paraná Clube sofreu tantos gols desde que foi fundado, em 1989. O jogo também marcou a virada do Atlético sobre o Paraná em números de clássicos vencidos.

Com esse resultado, o Atlético pode até perder por quatro gols no jogo de volta, no domingo, que garantirá o título de tricampeão paranaense.

Quando o time entrou em campo, uma surpresa para a torcida: Riva havia escalado três atacantes e somente dois zagueiros. Com Adauto, Kléber e Alex Mineiro, o Furacão atropletou o Paraná, que não conseguiu parar o destruidor ataque rubro-negro.

O primeiro gol saiu aos 10 minutos de jogo. Kléber, jogando com a camisa 10, bateu com extrema categoria e meteu no ângulo do goleiro Neneca, que sofreu seu primeiro gol no campeonato. O Atlético continuou pressionando. Adauto atuava como um ponta-esquerda, aproveitando o espaço deixado pelo lateral-direito Luís Paulo. Aos 20 minutos, Adauto tocou de calcanhar para Kléber, que avançou com a bola até à área adversária e mandou uma bomba, no ângulo superior direito do goleiro paranista, marcando um golaço, para explosão da torcida atleticana.

Ainda no primeiro tempo, o técnico Caio Júnior substituiu o zagueiro Xandão, machucado, pelo volante Goiano. O meia Rodrigo também saiu no finalzinho, dando lugar a Reginaldo Vital. O Atlético chegou a fazer o terceiro gol na primeira etapa.

Fabiano cobrou uma falta no travessão e Adauto, no rebote, cabeceou para o gol. A bola pegou na trave, mas depois ultrapassou a linha. O árbitro Francisco Carlos Vieira marcou um impedimento inexistente e anulou o terceiro gol atleticano. Logo depois, o Paraná foi para frente e diminuiu através de Luciano, aos 43 minutos.

No segundo tempo, o Atlético terminou o serviço. Em linda jogada de contra-ataque, Alex Mineiro ajeitou para Reginaldo Vital, que deixou Fabiano na cara do gol. O lateral-esquerdo bateu forte e rasteiro, marcando um gol que fez a torcida lembrar do uruguaio Ghiggia na Copa de 50.

Um minuto depois, Kléber continuou seu show particular. Ele roubou uma bola no ataque atleticano, deu lindos dribles na defesa e bateu na saída de Neneca. Outro golaço do camisa 10 atleticano.

Aos 30 minutos, Alex Mineiro puxou o contra-ataque e soube o momento ideal para tocar para o artilheiro Kléber, que entrou com tudo e meteu seu quarto gol. Os oito mil torcedores que foram à Arena foram à loucura. O time voava em campo e a torcida fazia a festa na arquibancada.

Aos 47 minutos, foi a vez do craque Alex Mineiro deixar sua marca. Ele recebeu passe pelo lado esquerdo e teve calma e categoria para deslocar Neneca e marcar o sexto gol, mostrando a inconteste superioridade do Atlético.

ATLÉTICO
Flávio; Alessandro, Gustavo, Igor e Fabiano (Luisinho Neto); Cocito, Flávio Luís e Rodriguinho (Reginaldo Vital); Adauto (Donizete Amorim), Alex Mineiro e Kléber. Técnico: Riva.

PARANÁ CLUBE
Neneca; Luís Paulo, Ageu, Xandão (Goiano) e Fabinho; Hélcio, César Romero, Marquinhos e Alexandre; Maurílio (Leandro Alves) e Luciano (Márcio). Técnico: Caio Júnior.

Local: Arena da Baixada
Público: cerca de 7.500 pagantes
Árbitro: Francisco Carlos Vieira
Cartões amarelos: Gustavo, Alessandro, César Romero, Alexandre e Maurílio.

Fotos: Valterci Santos (Gazeta do Povo).



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…