13 jun 2002 - 19h51

Departamento de marketing atende torcedores

O amor de um torcedor para com um clube de futebol pode ser mostrado das mais diversas formas. Pintar o rosto, beijar o escudo, declarar amor eterno, viajar quilômetros para prestigiar a equipe em jogos fora de casa, ficar horas na fila para adquirir ingressos são algumas demonstrações. Cada torcedor tem sua maneira própria de deixar transparecer a admiração.

Existem torcedores que procuram no simples ato de colocar no papel palavras de admiração a forma de se aproximar do clube. Os fanáticos torcedores do Clube Atlético Paranaense são um exemplo. O clube recebe diariamente uma média de 20 cartas, cada uma com uma história particular. Na maioria das vezes são pedidos de camisas, brindes ou de um simples pedaço de papel com os autógrafos dos ídolos.

Independente do pedido, nenhum remetente fica sem resposta. O Departamento de Marketing do Atlético analisa todas as correspondências e por mais difícil que seja de cumprir a solicitação, envia aos torcedores um oficio agradecendo o prestígio e junto alguma lembrança do clube.

“Nós do Atlético temos como regra não deixar nenhuma carta sem resposta. Nós enviamos um comunicado agradecendo a admiração que o torcedor tem pelo clube e junto um brinde para mostrar como os torcedores são importantes para o Atlético”, explica Eduardo Requião, do Departamento de Marketing.

Por maior que seja o esforço dos funcionários do clube em atender a todas as solicitações, existem pedidos que fogem ao alcance. Basta ler algumas cartas para se deparar com os pedidos mais peculiares possíveis. Um dos mais inusitados foi de um torcedor de Itabuna, interior da Bahia, que solicitou o uniforme completo para um time amador local.

Além disso, é comum encontrar dentro dos envelopes currículos de jovens, que se consideram “promessas do futebol”. Muitos garotos que sonham um dia se tornarem astros da bola fazem o pedido de poderem jogar no Atlético. Um exemplo é o garoto Rogério Alexandre da Silva Leite, 20 anos. Mesmo com a imensa distância entre Curitiba e Salvador, local onde mora, Rogério “pede uma ajuda para alcançar o seu objetivo”, ser jogador de futebol.

Se um dia o Atlético ficar sem idéias para produzir novos modelos de uniforme basta entrar em contato com o Vinícius de Sousa Cordeiro, 13 anos. O garoto enviou ao Departamento de Marketing um desenho de um uniforme atleticano completo: camisa, calção e meia. A camisa foge a tradicional utilizada atualmente. Ela é em sua maioria preta com apenas dois detalhes triangulares em vermelho, assim como os números. O cação e a meia são totalmente pretos.

Segundo Requião, a carta é uma forma do Atlético saber o que o seu torcedor está pensando e sentindo em relação ao clube. É uma forma de aproximar as pessoas na arquibancada com os atletas no gramado.

“A carta é uma fonte de opinião muito importante para o Atlético. Sem as correspondências seria impossível saber o que o torcedor está achando da metodologia do clube”, concluiu Requião.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Atlético Paranaense



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Novo “Timoneiro”

Sim.. Estava na cara.. Eduardo Barros, apesar de muito promissor e ser Sim, um nome para treinar a equipe rubro negra.. Ainda estava “Cru” e…