6 jul 2002 - 17h21

ATLÉTICO PERDE PARA O AZULÃO

O São Caetano venceu o Atlético por 2 a 1 em partida realizada na tarde deste sábado no estádio Castelão, em Fortaleza. Com esse resultado, o Azulão manteve suas chances de classificação para a próxima fase da Copa dos Campeões. Já o Atlético será eliminado caso Flamengo e Goiás empatem em jogo marcado para este domingo.

O Azulão jogou muito bem no primeiro tempo, fazendo lembrar o time que encantou o Brasil em 2001. O time de Jair Picerni pressionou o Atlético e criou várias chances para construir uma goleada. Na etapa final, porém, o Atlético se recuperou e foi melhor durante a maior parte do tempo.

O São Caetano dominou completamente a primeira etapa. Contando com a velocidade de Anaílson e Aílton, o Azulão envolveu o atual campeão brasileiro e impôs um ritmo forte desde o início do jogo. O técnico Riva, do Atlético, surpreendeu a todos ao escalar o time novamente no esquema 3-5-2, abandonando o 4-4-2. Assim, o Furacão iniciou o jogo com três zagueiros: Igor, Rogério Corrêa e Gustavo.

Logo no começo da partida, Somália aproveitou um rebote de Flávio e marcou aquele que seria o primeiro gol da partida. Porém, o árbitro Luciano Almeida anulou a jogada, assinalando o impedimento.

O Atlético não conseguiu se refazer do susto e acabou levando o gol aos 11 minutos. Anaílson iniciou a jogada e tocou para Somália, que deixou Aílton livre para marcar o primeiro gol do jogo. O rubro-negro só ameaçou a meta de Silvio Luiz aos 25 minutos de jogo, em um chute de Kléber. Animado, o campeão brasileiro partiu para o ataque em busca do empate, deixando muito espaço na defesa.

O São Caetano aproveitou a falha no esquema atleticano para ampliar o marcador. Aos 35 minutos, depois de uma jogada rápida pela direita, o goleiro Flávio fez boa defesa, mas o rebote acabou sobrando nos pés do lateral-esquerdo Rubens Cardoso. Livre, ele bateu rasteiro e marcou o segundo gol do time do ABC.

Três minutos mais tarde, o São Caetano quase chegou ao terceiro gol, mas parou em boa defesa de Flávio, que contou com a sorte para não levar mais um. O Furacão teve uma boa chance aos 41 minutos, em cobrança de falta, mas Silvio Luiz espalmou para escanteio.

No intervalo, o goleiro Flávio demonstrou estar irritado com os companheiros. “O time está muito desatento. Eles esqueceram que tem de marcar antes de atacar”, disse o goleiro atleticano, surpreso com a fragilidade do esquema defensivo rubro-negro.

O técnico Riva optou por sacar o zagueiro Igor e colocou Dagoberto no início da segunda etapa, tentando deixar a equipe mais ofensiva. A mudança surtiu efeito e o Atlético equilibrou o jogo. Aos 11 minutos, Alex tocou para Dagoberto, que fez boa jogada, mas acabou desarmado por Dininho antes de arriscar o chute.

Mantendo o ritmo, o Furacão conseguiu marcar seu primeiro gol aos 16 minutos do segundo tempo. Dagoberto dominou uma bola na intermediária e, ao invés de tocar para Alex Mineiro ou Kléber, resolveu decidir sozinho. Ele arriscou de longe e mandou uma bomba no ângulo esquerdo de Sílvio Luiz, marcando um bonito gol. Três minutos depois, o Atlético chegou com perigo e quase empatou. O lateral-direito chutou forte, mas Sílvio fez uma grande defesa.

Depois dessa jogada, o técnico Jair Picerni se convenceu da queda de rendimento do time e chamou o volante Serginho, que estava no banco de reservas. O Furacão teve uma grande chance para empatar aos 23 minutos. Dagoberto fez boa jogada e sofreu pênalti. Alex Mineiro bateu à meia-altura e Sílvio Luiz fez ótima defesa. Depois da grande defesa de Sílvio, Picerni sacou Aílton e colocou Serginho, reforçando o meio-campo.

Aos 28 minutos, Marlon sofreu falta cometida por Flávio Luís. O zagueiro Daniel pegou mal na bola e mandou longe do gol defendido por Flávio. A melhor chance do Azulão na segunda etapa, porém, ocorreu em uma cobrança de falta de Robert, logo em seguida. O meia bateu falta no canto esquerdo de Flávio, que espalmou para escanteio. Aos 29, Jair Picerni sacou Somália e colocou Jean Carlos em campo. Logo em seguida, o técnico Riva também colocou outro atacante em campo: Adauto substituiu o meia Rodriguinho.

O time paranaense ficou com um jogador a menos aos 32 minutos. O lateral Alessandro cometeu uma falta violenta no ataque e, como já havia recebido o cartão amarelo, foi expulso por Luciano Almeida. Logo em seguida, o Atlético quase empatou o jogo. Dagoberto fez ótima jogada e Adauto cabeceou a bola na trave de Sílvio Luiz. O goleiro do Azulão evitou o segundo gol atleticano no lance seguinte, no qual Kléber chutou de dentro da área.

Preocupado com os ataques do Atlético, o técnico Jair Picerni substituiu Anaílson pelo volante Claudecir, que fez sua segunda partida pelo Azulão desde que voltou do Palmeiras. O São Caetano teve uma excelente chance para marcar seu terceiro gol aos 40 minutos, quando Jean Carlos recebeu cruzamento de Marcos Senna dentro da área e bateu muito mal, recuando para o goleiro Flávio.

Um minuto mais tarde, o atacante Adauto, que acabara de entrar, cometeu uma falta violenta e também foi expulso, deixando o Atlético com somente nove atletas em campo. Aos 42, Fabiano cometeu uma falta na entrada da área. Adãozinho cobrou, mas mandou muito forte e a bola passou por cima da meta do goleiro atleticano. No último lance do jogo, o atacante Jean Carlos novamente teve boa chance para marcar, mas chutou nas mãos de Flávio.

Ao final do jogo, o técnico Riva, do Atlético, declarou que o time se desesperou depois de perder o pênalti. “Depois que perdeu o pênalti, o time perdeu a cabeça. Faltou equilíbrio emocional. A grande diferença foi que eles aproveitaram as oportunidades, mas nós desperdiçamos muitas chances”, analisou Riva. Segundo ele, o São Caetano merecia ter marcado três gols na primeira etapa. Porém, Riva considerou que o segundo tempo foi de total domínio atleticano.

O veterano meia Adãozinho não gostou do rendimento do São Caetano na segunda etapa. “A equipe que está vencendo por 2 a 0 não pode recuar. Foi o que aconteceu com a gente no segundo tempo. Recuamos, mas mesmo assim conseguimos manter o resultado e criamos boas chances no final”, disse Adãozinho.

Grupo B – Segunda Rodada

ATLÉTICO: Flávio; Gustavo, Igor (Dagoberto) e Rogério Corrêa; Alessandro, Cocito, Flávio Luís, Rodrigo (Adauto) e Fabiano; Alex Mineiro e Kléber. Técnico: Riva.

SÃO CAETANO: Sílvio Luiz; Marlon, Daniel, Dininho e Rubens Cardoso; Marcos Senna, Adãozinho, Aílton (Serginho) e Robert; Anaílson (Claudecir) e Somália (Jean Carlos). Técnico: Jair Picerni.

Local: estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Árbitro: Luciano Augusto Almeida (DF)
Cartões vermelhos: Alessandro e Adauto (Atlético)



Últimas Notícias

Opinião

Um Athletico! Uma vida!

E lá se vão 49 anos. Isso aí, 49! Ano do Furacão! E como vivi esse Athetico! E como estou vivendo, feliz e não menos…