11 set 2002 - 22h08

FOI TUDO UM TERROR

O 11 de Setembro vai realmente entrar para a história. Não só pela queda das duas torres gêmeas em Nova York no ano passado, mas também pela derrota do Atlético Paranaense para o Flamengo no Maracanã, por 3-2.

Daqui muito tempo vamos lembrar que foi no 11 de Setembro de 2002 que um árbitro mal intensionado, chamado Luciano de Almeida, marcou um pênalti para o rubro-negro carioca e deu a vitória para o time da Gávea. Vamos lembrar que o mesmo juíz deixou de apitar uma falta máxima em cima de Kléber, aos 41 do segundo tempo. E também não vamos esquecer da irritante transmissão da NET, que não parava de citar o Furacão como “Atlético do Paraná”, comentar lances como se fosse jogo amador e insistir na câmera do impedimento, deixando os jogadores, na tela, do tamanho de uma formiga.

O jogo começou da maneira que o Atlético queria. O Flamengo no campo de defesa e o ataque do Furacão jogando com consciência. E foi com consciência que aos 10 minutos Kleberson abriu o placar num chute de primeira, da entrada da área. E o primeiro tempo do Atlético terminou aí. Depois disso o Flamengo tomou conta do jogo. Aos 28, Liédson empatou de cabeça, numa falha da zaga atleticana. Antes disso, o Flamengo teve inúmeras chances de fazer com bolas cruzadas na área de Adriano Basso.

O gol empolgou o time carioca que desempatou a partida com o mesmo Liédson. Iranildo arrancou pelo meio da defesa atleticana e tocou para o atacante, em velocidade, invadir a área, ganhar da zaga e tocar por baixo de Basso. Flamengo 2-1.

No segundo tempo o Atlético voltou mais compacto, e empatou a partida aos 8 minutos com Kléber. Ele matou bonito a bola no peito, driblou o zagueiro e chutou no canto de Julio Cesar.

Três minutos mais tarde, Fabiano cruzou da esquerda, Kleberson desviou de cabeça, Júlio César só resvalou e ela beijou a trave esquerda. O goleiro do Flamengo se machucou no lance e saiu de maca para a entrada de Diego.

Aos 24, o lance mais polêmico da partida. Zé Carlos arrancou pelo meio e caiu em uma disputa de bola com Fabiano. Jogada normal que Luciano de Almeida marcou pênalti e Iranildo converteu, fazendo o terceiro do Flamengo.

A partir daí o Atlético foi para o tudo ou nada. Saíram Allan Bahia e Rogério Souza, para as entradas de Dagoberto e Jadílson.

Kleber por duas vezes quase empatou a partida de novo. Na primeira ele cobrou uma falta no travessão, e na segunda, na hora em que ia finalizar, foi calçado por um zagueiro do Flamengo dentro da área. Pênalti? Sim. Se o juiz marcou é outra história…

A próxima partida do Atlético vai ser contra o Paraná Clube, no sábado, no Couto Pereira.

Ficha Técnica

FLAMENGO 3 x 2 ATLÉTICO-PR

Flamengo
Júlio César (Diego); Felipe Mello, Flávio, André Bahia e Ânderson (Anderson Gils); Jorginho, André Gomes, Fábio Baiano e Iranildo; Liédson e Zé Carlos (Marquinhos)
Técnico: Evaristo de Macedo

Atlético
Adriano Basso; Rogério Souza (Jadílson), Rogério Corrêa, Igor e Fabiano; Cocito, Allan Bahia (Dagoberto), Kleberson e Adriano; Alex Mineiro e Kleber
Técnico: Valdir Espinosa

Local: Maracanã
0
Público: 7.383 pagantes
Renda: R$ 52.316

Juiz: Luciano Augusto de Almeida
Cartões amarelos: Zé Carlos e Jorginho
Gols: Kleberson, aos 10 e Liédson, aos 28 e 39min do primeiro tempo; Kleber, aos 8min e Iranildo, aos 25min do segundo tempo



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…