24 set 2002 - 0h05

Espinosa ataca de motivador no Atlético

Motivação. Esta é a arma escolhida pelo Atlético para desfazer contra o Fluminense, na próxima quarta-feira, no Rio de Janeiro, a série de cinco jogos sem vitória que o time está atravessando. Desde o confronto frente ao Botafogo, no início do mês, que o rubro-negro não consegue somar três pontos em uma partida.

Ao todo foram 15 pontos disputados e apenas três conquistados – empates contra Santos, Paraná Clube e São Paulo. Para dificultar a situação, seis pontos foram colocados a prova dentro da Arena da Baixada. Mesmo deixando os pontos escaparem, o elenco e a comissão técnica do Furacão estão conscientes que o time está tendo boas atuações.

“Nós não conseguimos a pontuação máxima nas últimas partidas, mas o time está tendo boas atuações com exceção do jogo frente ao Gama”, explicou Espinosa.

Contra o Fluminense, no Maracanã, o técnico rubro-negro espera que o time jogue o mesmo futebol apresentado frente ao São Paulo. Espinosa elogiou muito a postura da equipe em campo, principalmente o poder de reação após a derrota para o Gama na rodada anterior da competição.

“O Atlético não venceu, mas nós levamos para o jogo contra o Fluminense a boa atuação contra o São Paulo. O poder de reação do time após a derrota em casa para o Gama foi muito bom”, afirmou o treinador.

Para motivar ainda mais o elenco para o jogo no Rio de Janeiro, o técnico rubro-negro voltou a conversar com os jogadores. O conteúdo do papo foi visando não deixar nenhum atleta se abater pelas críticas e dar motivação para que o Atlético continue trilhando o seu caminho rumo a classificação no Campeonato Brasileiro.

“Eu quero que o time jogue como fez contra o São Paulo, com garra e motivação. Eu colei no vestiário uma mensagem escrita “Para chegar no topo não pare” para motivar ainda mais os jogadores”, concluiu Espinosa.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Atlético Paranaense



Últimas Notícias

Opinião

E lá se vão 6 anos

O tempo passa. Completamos hoje 6 anos de Nikão no Athletico. Há exatos 6 anos recebíamos Maycon Vinicius Ferreira da Cruz, conhecido como Nikão. Quando…

Ao Sol e à Sombra

Caju

Dizem que onde o goleiro pisa, nunca mais cresce a grama. Mas no estádio Joaquim Américo, mesmo agora, com o gramado sintético, a grama é…

Fala, Atleticano

Pandemia x Pandético

Infelizmente em 2020 tivemos que conviver com esta pandemia, isolando jogadores e torcida, mas como reflexão sabemos que a cada dia que passa esta situação…

Fala, Atleticano

Planejamento

Alguns equívocos sucederam a saída de Thiago Nunes da equipe principal, razão pela qual da queda brutal no desempenho em campo, este recuperado parcialmente para…

Fala, Atleticano

O pior Atletiba que eu vi

Olha, foi “tenso” assistir o Clássico… Sóbrio , ver o jogo, nem pensar… Jesus, que “Show de Horrores” !!!! Uma equipe, tentando jogar apesar de…