29 out 2002 - 21h12

É VIDA OU MORTE

Depois de vencer bem o Atletiba, o Atlético volta a campo na noite desta quarta-feira em busca de produzir uma seqüência de vitórias tão impressionante quanto a fase sem vencer pela qual o time atravessou recentemente neste Brasileirão (foram seis partidas sem vitória).

O adversário será o Grêmio, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. A cena traz boas recordações aos atleticanos. Em abril, um verdadeiro Furacão varreu o Rio Grande do Sul em jogo das semifinais da Copa Sul-Minas. O rubro-negro derrotou o tricolor gaúcho por 5 a 1 e deu uma aula de futebol. A esperança é que a mesma garra seja demonstrada nesta noite.

Para isso, o técnico Abel Braga poderá contar com sua melhor equipe. Fabiano volta à lateral-esquerda e o restante do time é o mesmo que começou jogando contra o Coritiba. Assim, Gustavo, Reginaldo Vital, Preto e Dagoberto ficarão no banco, formando um ótimo leque de opções para o treinador.

Dentro de campo, a esperança está nos pés especialmente de Adriano, que vem sendo um dos melhores jogadores do time neste Brasileiro e tradicionalmente se dá bem contra o Grêmio. Ele será o responsável pela armação de jogadas para a conclusão do artilheiro Kléber, que fez as pazes com o gol no último sábado.

Do lado gremista, o maior perigo atende pelo nome de Rodrigo Fabri, um dos principais goleadores do campeonato. Além dele, preocupam a zaga atleticana os atacantes Luís Mário e Rodrigo Mendes, este último com passagem pelo Atlético.

Ficha Técnica

GRÊMIO: Danrlei; Polga, Claudiomiro e Roger; Ânderson Lima, Gavião, Tinga, Rodrigo Fabri e Roberto; Luís Mário e Rodrigo Mendes. Técnico: Tite.

ATLÉTICO: Flávio; Alessandro, Rogério Corrêa, Igor e Fabiano; Douglas Silva, Cocito, Kleberson e Adriano; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Abel Braga.

Local: estádio Olímpico, em Porto Alegre

Data: 30/10, às 21h40 (transmissão: RPC)

Árbitro: Romildo Correia (SP)



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…