9 nov 2002 - 15h19

GOLEADA COM SABOR AMARGO

O Atlético decepcionou e perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro na tarde deste sábado, em jogo realizado no estádio Independência, em Belo Horizonte. Com uma atuação apática, o Furacão tomou quatro gols de cabeça e enterrou definitivamente suas chances de classificação no Campeonato Brasileiro. O time permanece com 31 pontos e se despede na última rodada, em casa, contra o Juventude.

Já o Cruzeiro chegou aos 33 pontos e nas últimas rodadas enfrentará o Internacional, fora e o Goiás, em casa. Esta foi a terceira vitória seguida da Raposa.

O primeiro gol da partida foi marcado aos 14 minutos. Após um escanteio cobrado pela direita, o zagueiro Igor tentou cortar e acabou marcando contra, de cabeça. Curiosamente, o próprio Igor empatou o jogo, desviando de cabeça uma falta aos 23 minutos.

A igualdade durou apenas dois minutos. Aos 25, Rondinelli cruzou da esquerda e Fábio Júnior se antecipou à defesa para cabecear e fazer 2 a 1. Nenhum zagueiro atleticano subiu para disputar a bola com o atacante adversário. Ainda na primeira etapa, aos 43, Luisão recebeu cruzamento livre na área e marcou, também de cabeça, o terceiro. Novamente, o atleta cruzeirese apareceu livre para marcar.

Para a segunda etapa, o técnico Abel Braga mexeu no Atlético, colocando Dagoberto no lugar do volante Alan Bahia, mas os planos foram frustrados aos 8 minutos, com a expulsão do lateral Fabiano por uma cotovelada em Ruy.

O treinador ainda tirou o atacante Alex Mineiro para recompor o meio-campo com a entrada de Reginaldo Vital. Aos 13 minutos, o Cruzeiro matou o jogo, com o quinto gol de cabeça da partida. Marcelo Batatais marcou após cobrança de escanteio pela direita.

Os visitantes ainda perderam outro jogador, aos 25 minutos, quando Dagoberto também recebeu o cartão vermelho. Com dois a mais, o Cruzeiro se limitou a administrar a boa vantagem e garantir os três pontos. Já nos acréscimos, Douglas Silva foi expulso e o Atlético terminou com oito em campo.

Foto da capa: Parana-Online.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…