12 nov 2002 - 9h36

Petraglia desabafa e diz que o Atlético deve muito

O Atlético vai fechar o ano com um rombo de R$ 6 milhões de reais em suas contas. Esta foi a grande revelação feita ontem pelo presidente Mário Celso Petraglia, em entrevista à Rádio Banda B e à Tribuna. Após gerar a expectativa por uma nova revolução, o dirigente se conteve, preferiu poupar energia e manter a mesma estrutura administrativa e técnica, pelo menos até o final do Brasileirão. O contato com a imprensa e com os ouvintes acabou se tornando mais um desabafo do dirigente do que o anúncio de uma chacoalhada geral do Rubro-Negro. Como consolo para a torcida, Petraglia antecipou a convocação do meia Kleberson para a Seleção Brasileira, hoje.

“Todo ano nós temos esse déficit operacional, que cobríamos com a venda de jogadores. Neste ano, não vendemos ninguém e por isso temos que encontrar uma forma de tampar esse furo”, revelou. O dirigente também contou que ainda não pagou o prêmio de R$ 350 mil, referentes ao vice-campeonato da Copa Sul-Minas, que garantiu a presença na Copa dos Campeões. Além disso, as renovações de contrato do técnico Geninho e do zagueiro Nem teriam contribuído para o aumento demasiado das contas do Furacão.

Já a tão aguardada reformulação ficou só na promessa. Praticamente se eximindo de qualquer erro cometido, Petraglia empurrou para os jogadores e para o calendário desta temporada a responsabilidade pelo ano ruim. “Se os nossos atacantes tivessem marcado os gols que marcaram no ano passado, não estaríamos nessa situação”, disparou. Mesmo assim, não quis anunciar nenhuma mudança no elenco, comissão técnica e diretoria. Até domingo, todos estão prestigiados. Mudança mesmo, segundo o dirigente, só a partir da próxima segunda-feira.

O mesmo valeu para os supostos sabotadores da atual administração. Petraglia se esquivou de comentar quem seriam os artífices de um plano para derrubá-lo. “Tinham me alertado que se o Atlético perdesse o Atletiba, a torcida gritaria ‘fora Petraglia’. Mas, como ganhamos, nunca vou saber se esse movimento existiu ou não”, apontou. No entanto, ele disse estar aberto para esclarecer ao ex-presidente do Conselho Deliberativo, José Henrique de Farias, e a outros ex-dirigentes e atleticanos ilustres o que está acontecendo dentro do clube.

Fonte: Paraná-online



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…