29 nov 2002 - 11h43

Valmor Zimermann pode voltar ao Atlético

O Atlético pode ter nos próximos dias o reforço de Valmor Zimermann na direção do clube. Chamado pessoalmente pelo presidente Mário Celso Petraglia, o ex-dirigente pode rever sua “aposentadoria” do futebol e voltar para socorrer a atual administração, que enfrentou uma série de dificuldades ao longo do ano. A decisão deve sair nos próximos dias e, se for concretizada, desencadeará uma série de mudanças na estrutura rubro-negra.

Segundo apurou a Tribuna, Zimermann seria o novo diretor de futebol. Mas para aceitar, o ex-presidente exige trazer consigo os ex-diretores Ademir Adur e Ênio Fornea, ter carta branca para tocar o futebol atleticano e apoio de sua família para trabalhar pelo Furacão. Se Petraglia concordar, o clube volta a ter um dirigente de campo após quase um ano sem ninguém na função.

Apesar de seus familiares já terem pedido para que Zimermann descanse mais, é possível que o apóiem numa volta ao Atlético. Parentes próximos disseram a interlocutores que entendem que o ex-presidente se sente bem no clube e não gostariam de contrariá-lo. No entanto, não querem que ele encontre um ambiente interno conturbado e se desgaste muito. Há pouco tempo, Zimermann passou por uma delicada cirurgia, mas já está totalmente restabelecido.

Com o apoio da família, o problema seria convencer Petraglia a abrir mão de parte do comando do clube. Da vez anterior que esteve à frente do futebol, Zimermann exigiu que constasse em ata (do Conselho Deliberativo) que ele tinha plenos poderes em seu departamento. A intenção era evitar a intromissão excessiva de outros diretores. “Ele sempre ouviu as outras pessoas, mas queria ter a palavra final”, disse uma fonte à Tribuna.

O outro problema, aparentemente, seria o mais difícil de ser aceito já que Adur e Fornea só retornam ao Rubro-Negro se não encontrarem o diretor-técnico Antônio Carlos Gomes trabalhando no clube. Como Gomes tem sido o braço direito de Petraglia no comando do profissional e das categorias de base, esse seria o principal impasse para que o socorro dos ex-dirigentes possa ser efetivado.

Desde que retomou o poder do Atlético, Petraglia fez uma limpeza no quadro pessoal do clube. Quem era alinhado a algum dos ex-diretores foi convidado a se retirar. Com Zimermann de volta, muitas dessas decisões seriam revistas. A atual diretoria precisa da volta deles porque o clube está com uma dívida de R$ 6 milhões e eles podem ajudar, não só pondo dinheiro do próprio bolso, como viabilizando negociações de jogadores e usando seu prestígio para acalmar o ambiente interno.

Fonte: Tribuna do Paraná



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…