9 dez 2002 - 7h45

O DOSSIÊ DE DANIEL

O zagueiro Daniel jogou poucas partidas no time profissional, mas desde logo caiu nas graças da torcida atleticana. Logo em seu primeiro jogo, no Brasileirão de 2001, marcou um gol contra o Santos e foi um dos melhores em campo.

A identificação com a massa rubro-negra não é por acaso. Daniel Vicente Horst é um autêntico atleticano. Nascido há 22 anos em Horizontina, no Rio Grande do Sul, iniciou sua carreira como jogador de futebol nos Infantis do Atlético, em 96.

No início, atuava no meio-campo, especialmente nas posições defensivas. Em 98, sofreu uma lesão e, quando voltou ao time, passou a atuar na zaga. Foi o técnico Canhoto quem detectou que Daniel tinha qualidades para atuar como líbero, devido à habilidade de meio-campista e o porte físico de zagueiro.

No Atlético, seus principais amigos são o meia Rodriguinho, o lateral-esquerdo Ivan e Juliano, recém-promovido aos profissionais. Eles costumam chamar Daniel de He-Man, fazendo brincadeira com os cabelos loiros do zagueiro.

No ano passado, Daniel foi promovido aos profissionais pelo técnico Mário Sérgio. Participou da conquista do Campeonato Brasileiro e tinha tudo para se firmar na temporada de 2002, não fsse uma contusão.

O zagueiro sofreu uma fratura por estresse na tíbia direita e ficou nove meses parado. Voltou no final do ano e participou dos últimos amistosos do ano. Agora, sua expectativa é de se firmar na equipe em 2003 e lutar por uma vaga de titular.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…