15 jan 2003 - 20h43

COMEÇANDO UM TRABALHO

A Baixada recebeu um surpreendente público para acompanhar o jogo treino entre Atlético Paranaense e Joinvillee. O amistoso serviu como preparação para ambas equipes que estréiam nos campeonatos estaduais já no próximo dia 25.

O treinador Heriberto da Cunha colocou em campo, nos primeiros 45 minutos o goleiro Cléber, Alessandro e Ivan nas laterais e Igor e Rogério Correa na zaga. O meio campo formou com Cocito, Douglas Silva, Adriano e Fabrício, tendo Ilan e Jadilson no ataque. Logo aos 2 minutos, Jadilson chutou forte da entrada da área e quase abriu o placar. A marcação sob pressão surtiu efeito e o Atlético tomou logo a posse de bola, acionando Adriano e principalmente o jovem Jadilson que aos 8 minutos deu mais um chute cruzado perigoso.

Aos poucos a equipe do Joinville foi equilibrando o jogo e explorando o meio campo atleticano, pouco combativo. Fabrício teve duas grandes oportunidades de falta, mas chutou uma para fora e outra na barreira.

Alan Bahia entrou no lugar de Douglas Silva, que saiu contundido, e o Atlético passou a errar muitos passes. Aos 34 minutos Adriano escorregou e a bola bateu em sua mão. Na cobrança da penalidade, que deslocou o goleiro Cléber, a bola foi para fora. Só que aos 42, em jogada pelo meio da área, o Joinville abriu o marcador, irritando a torcida presente.

Para a segunda etapa Heriberto da Cunha sacou Ilan, muito criticado pela pouca movimentação, e colocou Selmir que não conseguiu repetir as boas atuações que teve no Figueirense em 2002.

Jadilson cabeceou com força, rente a trave aos 5 minutos e aos 12 deu um perigoso chute da entrada da área. Fabrício saiu para a entrada de Rodriguinho e Willian entrou no lugar de Jadílson. O jogo seguiu com o Atlético pressionando e o Joinville defendendo-se muito bem, até que na metade do segundo tempo, Willian fui puxado dentro da área. Rodriguinho bateu fraco, displicente, facilitando a defesa do goleiro catarinense.

A pressão seguiu, principalmente com Alessandro e Adriano pela direita, mas de forma desordenada. Pires ainda entrou no lugar de Cocito, mas o panorama do jogo não mudou.

Heriberto comenta o jogo

Apesar do resultado não ser o esperado, o treinador Heriberto da Cunha mostrava-se bastante calmo após a derrota em casa para a equipe do Joinville. Em entrevista coletiva na Baixada, Heriberto falou que o elenco é bastante mudado, além de jovem e que a derrota provou que o time precisa de reforços, principalmente para dar mais experiência ao elenco.

Disse também que o elenco está bastante inchado e que pretende trabalhar com cerca de 28 jogadores. Questionado sobre o que achou da reação da torcida, que vaiou alguns lances e reclamou da derrota, lembrou que a torcida nunca atrapalha e que é importante o jogador mostrar personalidade para atuar no Atlético e se acostumar a pressão.

Sabedor das dificuldades, principalmente neste início de temporada, Heriberto da Cunha voltou a lembrar que a torcida deve ter paciência e incentivar a equipe, principalmente os jovens jogadores que estão tendo suas primeiras chances reais na equipe profissional.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…