7 fev 2003 - 6h48

AGITAÇÃO NOS BASTIDORES

De alguns anos pra cá é sempre a mesma polêmica antes de um clássico Atletiba. Enquanto o Atlético exige arbitragem de fora do Paraná, o Coritiba quer prestigiar os apitadores locais.

Desta vez o bate-boca começou com as declarações do presidente atleticano, Mário Celso Petraglia, depois da vitória apertada de seu time sobre o Rio Branco de Paranaguá. “Fomos muito prejudicados nesta partida. Se o nível da arbitragem continuar assim acho que teremos problemas no Atletiba. Por isso seria bom trazer alguém de fora”, afirmou Petraglia.

O dirigente também criticou a atuação de Héber Roberto Lopes no clássico da semana passada entre Coritiba e Paraná, fato que irritou o presidente do Coxa, Giovani Gionédis. “Queria agradecer ao Petraglia por ter ido ver o nosso jogo com o Paraná, acho que ele é o espião do técnico do Atlético”, disse ironicamente Gionédis.

“As declarações mostram o desespero dele. Mas nós temos a cabeça tranqüila, até porque estamos cinco pontos na frente daquele time da Baixada”, completou, a esta altura já num duelo ao vivo entre os dois presidentes na Rádio Banda B.

Com o transcorrer do debate os dois foram se acalmando e ponderando melhor suas declarações. No final até consideraram conversar sobre a hipótese de trazer mesmo um árbitro de fora do estado para comandar o clássico.

Mas na tarde desta quinta-feira a Federação Paranaense de Futebol (FPF) anunciou o nome de um paranaense para ser o mediador do Atletiba: Francisco Carlos Vieira.

“Ele é um árbitro experiente e não vai se deixar influenciar por essas polêmicas e pressões que antecedem a partida”, afirmou o presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, Fernando Luiz Homann.

Terra Esportes



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Em defesa do título

Pouco mais de um ano depois de levantar a taça da Copa do Brasil, o Athletico retorna à competição no confronto pelas oitavas de final,…