19 fev 2003 - 21h01

BENDITA DAYANE

Graças ao meio-campo Kleberson o Atlético não saiu de Belém do Pará com uma derrota. A Tuna Luso vencia o Furacão até os 47′ do segundo tempo, quando Xaropinho bateu uma falta e empatou a partida em 2-2. Com esse resultado o Atlético pode até empatar de 1-1 que mesmo assim se classifica para a próxima fase da Copa do Brasil. Menos de duas mil pessoas foram ao Mangueirão acompanhar a partida.

O jogo começou com o Atlético atacando. O goleiro André Luiz fez, nos primeiros minutos, quatro grandes defesas. Só que a partir dos 20′ a situação se reverteu. A Tuna Luso foi pra cima e abriu o placar com Joaci, aproveitando um lançamento.

O Atlético se abateu em campo e não acertava mais nada. A última chance no primeiro tempo foi com Ilan, aos 45′. O atacante chutou pra fora uma grande oportunidade.

No segundo tempo a Tuna Luso atacou até os 15′. Só que foi o Atlético quem marcou. Ilan fez grande jogada e tocou para Rogério Corrêa completar. Com o empate o Atlético foi pra cima e quase virou com Rodriguinho, que tinha entrado no lugar de Daniel.

O time paraense explorava os contra ataques e foi assim que desempatou a partida. Numa jogada de perigo, a bola bateu no braço do jogador Ígor. O árbitro marcou pênalti que Ciro converteu.

A Tuna foi administrando o placar até os 47′, quando Kleberson bateu uma falta que enganou a zaga e foi parar dentro do gol: 2-2 em Belém do Pará. Empate com sabor de vitória para o Furacão.

TUNA LUSO 2 x 2 ATLÉTICO

Tuna Luso: André Luiz, Edenilton, Guará, Tarobá e Biriba (Revé); Bironga, Tromba, Ciro e Joaci; Jaílson (Renatinho) e Toninho (Marçal)
Técnico: Sinomar

Atlético: Diego, Daniel (Rodriguinho), Igor e Rogério Correa; Alessandro, Cocito, Kléberson, Adriano e Fabrício; Dagoberto (Jadílson) e Ilan
Técnico: Oswaldo Alvarez

Data: 19/2/2003
Local: Mangueirão, em Belém (PA)
Público: 1.794 pagantes
Gols: Joaci, 23 do 1º; Rogério Correa, 17, e Ciro, 37 do 2º
Arbitro: Washington José de Souza (AM)
Cartão amarelo: Daniel, Joaci, Igor, Cocito e Tromba



Últimas Notícias

Opinião

Um Athletico! Uma vida!

E lá se vão 49 anos. Isso aí, 49! Ano do Furacão! E como vivi esse Athetico! E como estou vivendo, feliz e não menos…