3 maio 2003 - 19h22

Poderia ser melhor

O placar talvez tenha sido elástico demais pelo bom futebol apresentado pelo Atlético. A derrota de 5-2 para o invicto Cruzeiro pode ser encarada como um resultado injusto. Dadá Maravilha, ex-jogador e atual comentarista do Premiere Sports, definiu o jogo entre mineiros e paranaenses como uma das melhores da história.

A partida começou bastante movimentada. O Cruzeiro tomou a iniciativa e partiu para o ataque. Numa falta nas proximidades da grande área, aos 7 minutos, Alex abriu o placar. O rubro-negro não se intimidou e empatou aos 19 minutos. Ivan fez grande jogada na esquerda e cruzou para Ilan. O atacante marcou um belo gol de cabeça.

A reação cruzeirense foi imediata. Numa falha de Tiago, que tentou sair jogando, Deivid tocou para Aristizábal chutar no canto esquerdo de Diego. O primeiro tempo terminou em 2-1 para o Cruzeiro.

Bem colocado em campo, o Atlético partiu para o empate logo no início da segunda etapa. Dagoberto driblou Thiago, que acabou sentado, e chutou cruzado. Estava empatada a partida. Com boa postura no jogo, Vadão resolveu tentar virar o placar e acabou abrindo espaços na defesa. O treinador sacou o zagueiro Tiago e colocou Rodriguinho. A pressão do Cruzeiro aumentou.

Aos 25 minutos Aristizábal fez mais um, no mano a mano com a defesa do Furacão. Tentando corrigir o equívoco, Leomar foi substituído e Selmir entrou no ataque. Com brechas no meio de campo e no setor defensivo, o rápido time mineiro soube explorar os contra-ataques.

Aos 41 minutos, Alex serviu novamente o colombiano que marcou o quarto gol. Alex ainda teve tempo de marcar o quinto, na saída do goleiro Diego.

Com o resultado, a Raposa chegou a uma invencibilidade de 31 jogos e assumiu temporariamente a liderança do campeonato, com 17 pontos. O Atlético segue com 7 pontos.

Foto da capa: Hoje em Dia

7º Rodada – (03/05) – Cruzeiro 5 x 2 Atlético – Mineirão
A: Alexandre Barreto (RS); CA: Alex, Sandro, Wendell, Tiago e Dagoberto; G: Alex, aos 7, Ilan, aos 19, Aristizábal, aos 23 do 1º, Dagoberto, aos 3, Aristizábal, aos 25, Aristizábal, aos 40 e Alex, aos 45 do 2º.

CRUZEIRO: Gomes; Luisão, Edu Dracena e Thiago (Márcio); Maurinho, Recife, Sandro, Alex e Leandro (Wendell); Aristizábal (Mota) e Deivid. T: Vanderlei Luxemburgo.

ATLÉTICO: Diego; Alessandro, Juliano, Capone, Tiago (Rodriguinho) e Ivan; Leomar (Selmir), Luciano Santos e Kleberson; Ilan e Dagoberto. T: Vadão.


Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…