12 jul 2003 - 17h55

Nem a Baixada ajudou

O Atlético não conseguiu reeditar suas boas apresentações dentro da Baixada. Num jogo sem muita movimentação, o placar não saiu do 0 a 0 frente ao lanterna do campeonato. Apesar do frio intenso em Curitiba, a torcida compareceu em bom número, devido às circunstâncias, na Baixada. Mais de 8 mil atleticanos compareceram ao Joaquim Américo.

Mas, o futebol apresentado pelos jogadores rubro-negros não agradou muito a torcida. Foram poucos os lances em que a torcida ficou prestes a comemorar um gol atleticano.

Os meias Rodriguinho e Jadson não conseguiram superar as ausências de Kleberson e Adriano. Rodriguinho até teve uma ótima oportunidade de marcar de cabeça o gol atleticano, mas desperdiçou a ótima chance frente ao goleiro Rodrigo Calaça aos 30 minutos de partida.

Já o meia Jadson se movimentou bastante em campo, mas teve dificuldades para passar pela forte marcação goiana. Foi ele quem cruzou para a cabeçada de Rodriguinho. No entanto, as melhores chances do Atlético foram mesmos os chutes de fora da área com Alessandro, Dagoberto e Ilan.


Ilan tentou, mas não conseguiu furar a defesa goiana

No lado do Goiás, a melhor chance do primeiro tempo ocorreu aos 40 minutos, quando Dimba cabeceou para a excelente defesa do goleiro Diego.

Na volta para o segundo-tempo, esperava-se um jogo melhor, mas a partida continuou num ritmo lento. O meio-campo atleticano não produzia e tampouco o ataque. Ilan e Dagoberto tiveram poucas chances para tentar marcar. Dagoberto não conseguiu reeditar suas últimas boas atuações e parou na marcação do Goiás.

Para desespero da torcida atleticana, que chegou a pedir mais raça aos jogadores, as melhores oportunidades de gol aconteceram no lado goiano. Sorte que no gol atleticano estava Diego, eleito o melhor jogador da partida em diversos meios de comunicação.

No final da partida o técnico Vadão, que assistiu a partida do ‘pombal’ sacou Jadson e colocou Ricardinho para tentar o gol da vitória. Com pouco tempo para atuar, poucas chances foram criadas pelo jogador.


As chances rubro-negras pararam em Rodrigo Calaça

Aos 38 minutos, o Goiás teve seu zagueiro Fabão expulso por cometer falta violenta em Ilan, que partia em direção ao gol adversário. O zagueiro demorou para sair de campo, o técnico Cuca esfriou ainda mais o jogo ao realizar substituições e o Atlético não teve tempo para tentar mais nada.

A torcida rubro-negra saiu insatisfeita do Estádio com o empate. Já os jogadores do Goiás comemoraram muito o empate. Com o resultado, o Atlético sobe para a 12ª posição, mas sem computar o pontos das partidas de domingo.

Agora o elenco atleticano terá que recuperar os pontos perdidos na Baixada na quinta-feira, quando o Furacão irá enfrentar o São Paulo no Morumbi.

Brasileiro – (12/07/03) – Atlético 0 x 0 Goiás – Baixada
A: Paulo Henrique Godói Bezerra (SC); CA: João Paulo, Gustavo, Alessandro, Gil Baiano, Dagoberto e Ilan; CV: Fabão; P: 7.110; R: R$ 77.404,00.

ATLÉTICO: Diego; Alessandro, Capone, Igor e Ivan; Leomar, Luciano Santos, Rodriguinho (Ricardinho) e Jadson; Ilan e Dagoberto. T: Vadão.

GOIÁS: Rodrigo Calaça; Michel, Fabão, João Paulo e Gustavo; Cléber, Marabá, Gil Baiano e Tiago; Dimba (Wando) e Araújo (Danilo). T: Cuca.


Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Erechim

A quase 400km de distância de Porto Alegre é onde reside a palavra “se”. Chegou por lá em 2004, vinda de qualquer outro canto do…

Fala, Atleticano

Freguês sempre volta…

O jogo de ontem na Baixada merecia torcida. Se não fosse a Pandemia, seguramente teríamos 30 mil pessoas na Arena. O Athetico jogou bem, principalmente…

Fala, Atleticano

O que será amanhã?

Vendo que o Athletico aguarda só o final do Campeonato Brasileiro.. Apesar de ter jogos ainda por realizar, a postura do time nas partidas, diz…