12 jul 2003 - 17h55

Nem a Baixada ajudou

O Atlético não conseguiu reeditar suas boas apresentações dentro da Baixada. Num jogo sem muita movimentação, o placar não saiu do 0 a 0 frente ao lanterna do campeonato. Apesar do frio intenso em Curitiba, a torcida compareceu em bom número, devido às circunstâncias, na Baixada. Mais de 8 mil atleticanos compareceram ao Joaquim Américo.

Mas, o futebol apresentado pelos jogadores rubro-negros não agradou muito a torcida. Foram poucos os lances em que a torcida ficou prestes a comemorar um gol atleticano.

Os meias Rodriguinho e Jadson não conseguiram superar as ausências de Kleberson e Adriano. Rodriguinho até teve uma ótima oportunidade de marcar de cabeça o gol atleticano, mas desperdiçou a ótima chance frente ao goleiro Rodrigo Calaça aos 30 minutos de partida.

Já o meia Jadson se movimentou bastante em campo, mas teve dificuldades para passar pela forte marcação goiana. Foi ele quem cruzou para a cabeçada de Rodriguinho. No entanto, as melhores chances do Atlético foram mesmos os chutes de fora da área com Alessandro, Dagoberto e Ilan.


Ilan tentou, mas não conseguiu furar a defesa goiana

No lado do Goiás, a melhor chance do primeiro tempo ocorreu aos 40 minutos, quando Dimba cabeceou para a excelente defesa do goleiro Diego.

Na volta para o segundo-tempo, esperava-se um jogo melhor, mas a partida continuou num ritmo lento. O meio-campo atleticano não produzia e tampouco o ataque. Ilan e Dagoberto tiveram poucas chances para tentar marcar. Dagoberto não conseguiu reeditar suas últimas boas atuações e parou na marcação do Goiás.

Para desespero da torcida atleticana, que chegou a pedir mais raça aos jogadores, as melhores oportunidades de gol aconteceram no lado goiano. Sorte que no gol atleticano estava Diego, eleito o melhor jogador da partida em diversos meios de comunicação.

No final da partida o técnico Vadão, que assistiu a partida do ‘pombal’ sacou Jadson e colocou Ricardinho para tentar o gol da vitória. Com pouco tempo para atuar, poucas chances foram criadas pelo jogador.


As chances rubro-negras pararam em Rodrigo Calaça

Aos 38 minutos, o Goiás teve seu zagueiro Fabão expulso por cometer falta violenta em Ilan, que partia em direção ao gol adversário. O zagueiro demorou para sair de campo, o técnico Cuca esfriou ainda mais o jogo ao realizar substituições e o Atlético não teve tempo para tentar mais nada.

A torcida rubro-negra saiu insatisfeita do Estádio com o empate. Já os jogadores do Goiás comemoraram muito o empate. Com o resultado, o Atlético sobe para a 12ª posição, mas sem computar o pontos das partidas de domingo.

Agora o elenco atleticano terá que recuperar os pontos perdidos na Baixada na quinta-feira, quando o Furacão irá enfrentar o São Paulo no Morumbi.

Brasileiro – (12/07/03) – Atlético 0 x 0 Goiás – Baixada
A: Paulo Henrique Godói Bezerra (SC); CA: João Paulo, Gustavo, Alessandro, Gil Baiano, Dagoberto e Ilan; CV: Fabão; P: 7.110; R: R$ 77.404,00.

ATLÉTICO: Diego; Alessandro, Capone, Igor e Ivan; Leomar, Luciano Santos, Rodriguinho (Ricardinho) e Jadson; Ilan e Dagoberto. T: Vadão.

GOIÁS: Rodrigo Calaça; Michel, Fabão, João Paulo e Gustavo; Cléber, Marabá, Gil Baiano e Tiago; Dimba (Wando) e Araújo (Danilo). T: Cuca.


Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…