26 jul 2003 - 17h24

Mediocridade bate na Baixada

O Atlético não conseguiu passar pelo Paysandu nesta tarde, na Baixada. Apresentando um futebol apático e abaixo das críticas, o rubro-negro empatou por 1 a 1 com a equipe paraense e pode perder até três posições na rodada, sendo ameaçado pelo rebaixamento. O próximo adversário do Atlético é o atual campeão brasileiro, Santos, quarta-feira, também em Curitiba.

A partida de hoje começou com o rubro-negro pressionando. Aos 3 minutos, Alessandro tentou de fora da área. A bola passou perto do gol de Willes. Pouco depois o Paysandu respondeu. Zé Augusto cruzou e Leomar tirou da pequena área.

Depois disso o que a torcida viu foi um festival de erros das duas equipes. Ninguém conseguia chegar ao gol adversário e o outro lance de perigo só foi acontecer aos 23 minutos, quando Luciano Santos arriscou de longe. A pressão do Atlético aumentou quando Jádson fez boa jogada. O meio campo tocou para Lê que perdeu boa chance de abrir o placar.

Já no final do primeiro tempo, Wélber foi derrubado próximo a grande área de Diego. Na cobrança da falta, Luís Fernando acertou a barreira. No contra-ataque puxado por Alessandro, o Atlético marcou o gol. O lateral viu Ricardinho na ponta, que tocou para Lê. O atacante deu um toque rápido para Jadson chutar no cantinho de Willes.

O segundo tempo começou com o Atlético tentando definir o jogo. Em quatro minutos, o time teve quatro chances de gol. Na melhor delas, Jadson driblou dois marcadores e chutou para que Willes mandasse para escanteio.

O Paysandu, comandado por Ivo Wortmann, soube aproveitar os erros do Atlético. E foi assim que o time de Belém empatou. Numa bola perdida no ataque atleticano, os paraenses souberam tocar a bola e chegaram ao gol rubro-negro com bastante velocidade. Zé Augusto disparou uma bomba sem chances para Diego.

Com o placar empatado, o técnico Vadão sacou Luciano Santos e Lê e colocou em campo Nélio e Lobatón. Os dois pouco puderam fazer, já que a marcação do Paysandu continuava forte.

Aos 44 minutos, o meio-campo Rodriguinho ainda foi expulso. Ele fez uma falta violenta e recebeu o vermelho, para a alegria da Torcida Os Fanáticos, que não se cansou de pegar no pé do jogador.

22ª Rodada (23/07/03) – (26/07/03) – Atlético 1 x 1 Paysandu – Baixada
A: Paulo Henrique de Godói Bezerra (SC); CA: Rogerinho, Wélber, Luciano Santos, Ricardinho, Lima e Jóbson; CV: Rodriguinho; P: 5.525; R: R$ 57.327,00; G: Jadson, aos 44 do 1°; Zé Augusto, aos 15 do 2°.

ATLÉTICO: Diego; Alessandro, Capone (Juliano), Igor e Ivan; Leomar, Luciano Santos (Nélio), Rodriguinho e Jadson; Ricardinho e Lê (Lobatón). T: Vadão.

PAYSANDU: Willes; Wellington, Lima, André Dias e Luís Fernando; Rogerinho, Vanderson, Jóbson (Alexandre Pinho) e Wélber; Magnum e Zé Augusto (Cristiano). T: Ivo Wortmann.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…