11 out 2003 - 17h09

Parabéns pra você!

O Atlético voltou a dar alegrias ao seu torcedor no Campeonato Brasileiro e com um show de bola em cima de seu maior rival. Além do mais, o time foge da zona de rebaixamento e tira 3 pontos do Coritiba.

Logo no início da partida já era visível que o Atlético havia entrado com um espírito diferente. Adriano demonstrou raça tentando roubar a bola com um carrinho, mas acabou levando cartão amarelo logo a um minuto de jogo.

Com muita vontade, o time atleticano partiu com tudo para cima dos coxas. Foram várias as chances criadas pela equipe. A melhor delas foi desperdiçada por Fernandinho, que chutou fraco, dando a chance da defesa com os pés do goleiro Fernando.

A torcida aproveitou o embalo e exerceu grande pressão, silenciando os 1.800 coritibanos no lado adversário. Os gritos de guerra atleticanos devem ter abalado os jogadores do Coritiba, que abusaram das faltas. Numa delas, Reginaldo Nascimento foi expulso ao levar seu segundo cartão amarelo.

Na cobrança de falta, a bola bateu na barreira e sobrou para Ilan, que de bicicleta marcou um golaço na Arena da Baixada aos 34 minutos. Festa total na torcida atleticana para o jogador que há tempos atrás era motivo de vaias entre os torcedores.

Após o gol, o Coritiba tentou esboçar uma reação nas cobranças de faltas e escanteios, mas a zaga rubro-negra atuou de forma impecável e anulou todas as chances adversárias. Destaque para Igor, o jogador não deu chances ao coxa-branca Marcel, que jamais marcou gol na Baixada.

O segundo gol só não saiu ainda no primeiro tempo por falta de pontaria, pois com boa organização técnica e tática os jogadores deram um show de bola em cima do coxa. Para sorte dos alvi-verdes, o árbitro Evandro Rogério Roman deu apenas um minuto de acréscimo.

Na volta do segundo tempo, o Atlético continuou melhor e criando boas chances para ampliar o placar. O goleiro Fernando começou a se destacar na partida, efetuando boas defesas e salvando o Coritiba.

Com um jogador a mais, o Furacão teve domínio total da partida. Os alvi-verdes mal chegavam ao gol rubro-negro. Diego apenas assistiu a partida na segunda etapa, já que todos os jogadores estiveram muito bem.

O segundo gol atleticano saiu por volta dos 33 minutos em jogada iniciada por Luciano Santos. O meia passou para Dagoberto que logo em seguida tocou, dentro da área, para Ilan ampliar o placar. Na comemoração os jogadores festejaram dançando juntos.

Sendo derrotado por 2 a 0, os jogadores do coxa esqueceram do jogo e começaram a apelar para a violência. Roberto Brum agrediu Dagoberto num lance sem bola, mas sequer recebeu cartão amarelo. Em outra jogada, Rogério Corrêa também foi agredido covardemente por Adriano do Coritiba, que apenas levou o cartão amarelo. Somente Odvan acabou sendo expulso após dura falta em Dagoberto.

Nos últimos minutos, a torcida rubro-negra fez ainda mais festa, principalmente porque o time do Coritiba ficou na roda aos gritos de ‘olé’. Revoltada, a torcida coxa começou a depredar as dependências da Arena da Baixada e jogou barras de ferro dentro do gramado, mostrando sua falta de espírito esportivo e criando grande confusão com a Polícia Militar.

Enquanto isso, a torcida atleticana continuava a ver o massacre de bola. O terceiro gol só não saiu por detalhes, já que Jádson e Ricardinho perderam ótimas chances. Agora o Furacão soma 44 pontos e enfrenta o Santos no próximo domingo na Vila Belmiro.

[Foto: Lucimar do Carmo / Paraná-online]

36ª Rodada – (11/10) – Atlético 2 x 0 Coritiba – Baixada
A: Evandro Rogério Roman (PR); CA: Alan Bahia, Luciano Santos, Souza, Adriano (A) e Adriano (C); CV: Reginaldo Nascimento e Odvan; P: 16.894; R: R$ 171.855,00 ; G: Ilan, aos 34 do 1°; Ilan, aos 23 do 2°.

ATLÉTICO: Diego; Alessandro (Jadson), Igor, Rogério Corrêa, Alan Bahia (Alessandro Lopes) e Ivan; Luciano Santos, Fernandinho e Adriano; Ilan (Ricardinho) e Dagoberto. T: Mário Sérgio.

CORITIBA: Fernando; Ceará, Odvan, Reginaldo Nascimento e Adriano; Roberto Brum, Willians, Alexandre Fávaro (Souza) e Jackson (Edinho Baiano); Lima (Edu Salles) e Marcel. T: Paulo Bonamigo.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…