30 nov 2003 - 16h27

Furacão é campeão metropolitano

O Atlético conquistou neste domingo o título do Campeonato Metropolitano Juvenil de 2003. O Furacão venceu o Coritiba na final por 4 a 1, de virada, em partida realizada no mini-estádio do CT do Caju. Como já havia vencido a primeira partida da final por 2 a 1, a equipe de Marquinhos Benatto ficou com o bicampeonato da competição. A campanha da equipe foi brilhante. Foram disputados dezesseis jogos, com o seguinte retrospecto: catorze vitórias, um empate e uma derrota. Os únicos tropeços do time foram em partidas contra o Nacional: um empate na primeira fase e uma derrota na primeira partida da semifinal.

O Atlético enfrentou o Coritiba quatro vezes no Metropolitano e venceu as quatro: dois 1 a 0 na primeira fase e as duas vitórias na final (2 a 1 e 4 a 1). O time teve o artilheiro do campeonato Anderson Aquino (24 gols) e o goleiro menos vazado Vagner (9 gols sofridos). Foram marcados 72 gols, em uma média de 4,5 gols por jogo.

A final

O primeiro bom lance do Atlético surgiu aos 7 minutos do primeiro tempo. Anderson Aquino tocou de calcanhar para Samuel, que invadiu a área e tentou tocar por cobertura, mas o goleiro coritibano espalmou parra escanteio. O Coritiba respondeu aos 16 minutos e abriu o marcador em uma bela cobrança de falta, sem chances para Vagner.

Mesmo não jogando bem, o rubro-negro conseguiu o empate aos 24 minutos. Samuel fez ótima jogada pelo meio, tocou para Anderson Aquino, que passou pelo zagueiro e chutou para o gol. O goleiro rebateu e Schumacher, de visual novo, só teve o trabalho de tocar para o fundo das redes, marcando seu 17° gol no campeonato. A virada saiu aos 38 minutos. Schumacher fez boa jogada pela direita e tocou para Anderson Aquino no centro da área. O artilheiro só rolou para Leandro, na esquerda, que ajeitou e tocou na saída do goleiro.

O segundo tempo foi inteiramente atleticano. A equipe criou diversas oportunidades de ampliar o marcador. Aos 12, Leandro enfiou bola em profundidade para Anderson Aquino, que passou pela zaga e chutou cruzado, obrigando o goleiro a boa defesa. Aos 19, Leandro invadiu a área, chapelou o zagueiro e tocou de cabeça para Aquino, que acabou desarmado. Desnorteado, o Coritiba saiu jogando mal e, um minuto depois, Leandro tocou de novo para Anderson Aquino, que voltou a perder. Aos 24, o meia Leandro avançou pela esquerda e tocou para Schumacher, que bateu para fora.

Finalmente, aos 28 o Furacão ampliou. Anderson Aquino ganhou da zaga na corrida, driblou o goleiro e mandou para o gol. Aos 33, Eduardo, que havia entrado em lugar de Leandro, também ficou cara a cara, mas chutou nas mãos do goleiro. Aos 36, o meia Marcelo ganhou no meio-campo, invadiu a área e rolou para Carioca, livre, marcar o quarto gol. Três minutos depois, Carioca foi expulso após cometer falta na intermediária. Logo em seguida, o árbitro acabou a partida e os atleticanos puderam comemorar de forma merecida a conquista do título. O Atlético jogou com Vagner; Saimon, Gaúcho, Rhodolfo, Alex e Lucas; Baiano, Samuel e Leandro (Eduardo); Anderson Aquino (Carioca) e Schumacher (Marcelo).

A campanha

A campanha do time dirigido por Marquinhos Benatto foi excelente. O time foi o melhor da primeira fase e conquistou catorze vitórias em dezesseis partidas. Perdeu apenas um jogo e empatou outro (ambos contra o Nacional, do Boqueirão). Das catorze vitória, nove foram por goleada. O resultado mais expressivo foi o 11 a 0 sobre o Expressinho, mas também houve dois 9 a 0 (sobre o Fanático e o Renovicente), um 8 a 1 (Renovicente) e dois 6 a 0 (Fanático e Expressinho).

Além disso, o Furacão venceu os quatro jogos contra o rival Coritiba, sendo dois no CT do Caju e dois no CT do Atuba. O time marcou 72 gols e sofreu apenas 9, ficando com um saldo positivo de 63 gols.

Os destaques

O atacante Anderson Aquino, de apenas 16 anos, terminou a competição como artilheiro isolado, com 24 gols marcados (foto). Sua atuação mais destacada foi na partida contra o Nacional, na semifinal, quando marcou os quatro gols da vitória rubro-negra. Outros destaques do rubro-negro foram o atacante Schumacher, que fez 17 gols e o meia Leandro, que balançou a rede por 9 vezes.

Confira a lista dos artilheiros do Atlético no Metropolitano: 24 gols – Anderson Aquino (foto); 17 gols – Schumacher; 9 gols – Leandro; 3 gols – Baiano, Paulinho, Lucas Jorge, Samuel; 2 gols – Paulo Henrique, Saimon, Carioca; 1 gol – Gaúcho, Rhodolfo, Cesinha, Vítor; 1 gol – contra Alessandro (Fanático). Se no ataque o rubro-negro demonstrou uma capacidade incrível, na defesa não foi diferente. O goleiro Vagner foi premiado pela FPF com o troféu de goleiro menos vazado da competição, com apenas 9 gols sofridos.

Os campeões

Confira o elenco campeão metropolitano juvenil de 2003:

GOLEIROS: Vagner, Gefferson e Jean
LATERAIS: Paulinho, Gerônimo, Lucas e Cesinha
ZAGUEIROS: Rhodolfo, Gaúcho, Vítor, Baiano, Alex, Lucas Piasentin, Marcão VOLANTES: Samuel, Vinícius e Cafu
MEIAS: Leandro, Paulo Henrique, Evandro, Carioca, Marcus Winicius e Marcelo
ATACANTES: Anderson Aquino, Schumacher, Saimon, Eduardo e Edson
COMISSÃO TÉCNICA: Marquinhos Benatto (técnico), Antônio Marcos (preparador físico), Tedeschi (preparador de goleiros), Adriano Karpstein (médico), Igor Shiminacio (médico), Waldyr (massagista) e Marcelo (roupeiro)
COORDENAÇÃO: Mario Celso Petraglia (presidente), Antonio Carlos Gomes (diretor técnico), Oscar Erichsen (diretor científico), Vinícius Eutrópio (coordenador das categorias de base), Daniel Leite (supervisor), Rafael Andrade (assessor), Antônio Sureck (assessor) e Maicon Massera (estagiário).

A festa

Clique aqui para ver as fotos da comemoração atleticana.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…