1 dez 2003 - 20h04

Atlético bate o Londrina na Sesqui

O Atlético derrotou o Londrina por 2 a 1 em jogo realizado na noite desta segunda-feira no estádio VGD, no norte do estado. Com esse resultado, o Furacão jogará por um empate no jogo de volta para se classificar à próxima fase da Copa Sesquicentenário.

O rubro-negro começou melhor na partida, aproveitando a apatia do time do Londrina. Apesar disso, foi o time da casa quem teve a primeira chance para marcar, logo aos 2 minutos. Depois da falha da zaga, o atacante Bruno dominou a bola na área, mas chutou longe. O Atlético respondeu no mesmo minuto com Selmir, que concluiu bem para defesa de Marcelo.

Aos 13 minutos, o rubro-negro levou perigo à meta de Marcelo em boa cobrança de falta de Michel Bastos. No minuto seguinte, Refferson tentou cortar um cruzamento e acabou mandando no travessão, quase marcando gol contra. No rebote, Dinei, embaixo da trave, perdeu ótima chance para abrir o marcador.

O Furacão continuou criando boas chances, especialmente com Selmir e Dinei. Percebendo a queda de produção de sua equipe, o técnico Luís Müller ordenou aos jogadores uma mudança tática: o meia Cassiano foi para a lateral-direita, deslocando Lima para a esquerda e deixando o time no esquema 3-5-2.

Funcionou e aos 22 minutos, o Londrina quase chegou ao gol. Marcos Cruz aproveitou rebote da defesa e, da meia-lua da grande área, acertou belo chute no travessão de Tiago Cardoso. O Tubarão cresceu no jogo e já aos 23 minutos, acertou outra bola no travessão, desta vez com Rocha.

Na metade final da primeira etapa, as duas equipes diminuíram o ritmo. O Atlético voltou ao ataque outra vez, em uma cobrança de falta de Michel Bastos, aos 30 minutos. Em cobrança de falta, ele mandou uma bomba, Marcelo espalmou e Refferson mandou pra escanteio, salvando o Londrina.

Segundo tempo

O segundo tempo começou no mesmo ritmo lento do final da primeira etapa. Aos 3 minutos, Dinei fez boa jogada e chutou cruzado, mas Marcelo conseguiu fazer a defesa em dois tempos. Foi o único bom lance dos primeiros minutos da etapa final.

Aos 22 minutos, caiu a energia do estádio Vitorino Gonçalves Dias e o jogo ficou paralisado por 27 minutos. O técnico Julio Toledo Piza aproveitou o recomeço do jogo para fazer uma mudança: sacou o atacante Dinei e colocou em campo o meia Sammir, de apenas 16 anos. Ele entrou e fez boa jogada aos 25 minutos (três depois do reinício), que culminou com a conclusão de David para o fundo das redes. No entanto, o árbitro anulou o gol, marcando impedimento do capitão atleticano.

No minuto seguinte, Michel Bastos cobrou falta, Marcelo espalmou, a bola tocou na trave e foi para escanteio. O Atlético cresceu no jogo e passou a pressionar. Aos 32 minutos, Selmir recebeu bola na entrada da área, ajeitou e chutou no canto esquerdo de Marcelo, marcando o primeiro gol do jogo. A bola ainda desviou no zagueiro Luiz Henrique antes de entrar.

Sete minutos depois, o mesmo Selmir marcou seu segundo gol na Copa Sesquicentenário, aproveitando cobrança de escanteio. O atacante teve de se abaixar para cabecear para o fundo das redes. Aos 49, no último minuto, Rocha arriscou um chute de longa distância e marcou o gol de honra do Londrina.

Os dois times voltam a se enfrentar na próxima quinta-feira, às 15h30, no CT do Caju. O Atlético joga por um empate para se classificar à semifinal geral da Copa Sesquicentenário. De acordo com o regulamento da competição, o saldo de gols no confronto direto não é critério de desempate. Portanto, vitória do Londrina por qualquer marcador leva a decisão para a prorrogação.

Copa Sesquicentenário – (01/12/03) – Londrina 1 x 2 Atlético – VGD
A: Cleivaldo Bernardo (PR); CA: Lima, Rodrigão, Leandro, Lê, Luiz Henrique; P: 829; R: R$ 1.634,00; G: Selmir, aos 35 e aos 39 e Rocha, aos 49 do 2°.

LONDRINA: Marcelo; Cassiano, Dé, Marcão (Bolão), Luiz Henrique e Lima (Júnior Gaúcho); Refferson, Rocha e Marcos Cruz; Paraguaio e Bruno. T: Luís Müller.

ATLÉTICO: Tiago Cardoso; David, Marcio Alemão, Thiago Costa, Rodrigão e Michel Bastos; Juliano, Carlos Alberto (Leandro) e Dinei (Sammir); Lê e Selmir (Lucas Martins). T: Julio Toledo Piza.



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…