10 dez 2003 - 19h47

Juniores lutam, mas ficam com o vice

A torcida apoiou e compareceu em ótimo número, lotando as arquibancadas no CT do Caju, mas não foi o suficiente para empurrar o time de Juniores do Atlético para mais um título. Jogando com três desfalques e contando com o reforço dos jogadores do time profissional, Alan Bahia, Jadson e Thiago Costa, o rubro-negro não conseguiu reverter a vantagem adquirida pelo time alviverde na primeira partida da final do Campeonato Paranaense de Juniores, realizada no último sábado, no Couto Pereira. O Coritiba ganhou por 4 a 1 e tinha a vantagem de perder por até dois gols de diferença.

O jogo começou bastante movimentado entre as duas equipes. De um lado, o time alviverde administrando a vantagem, com excesso de zelo defensivo. De outro, o time atleticano aproveitando as oportunidades que surgiam, fazendo triângulos e tabelas. Foi assim que o Atlético buscou mais espaço em campo, principalmente pelo lado direito e abriu o placar aos 10 minutos, com o lateral-direito Murilo, que completou a jogada iniciada por Jadson, numa cobrança de escanteio.

Após o gol o time atleticano não teve tranqüilidade e objetividade para enfrentar a forte retranca do time alviverde. Jadson ajudou nas roubadas de bola e apoiou a defesa, além de tabelar com Evandro e Lucas Busato, que não estava bem no jogo.

O Coritiba apresentou perigo logo aos 3 minutos de jogo, com Cacique e só voltou ao ataque novamente aos 31 minutos, com Laércio. No mais, o jogo continuava bastante equilibrado e disputado, com os zagueiros de ambos os times atentos a cada lance.

Aos 31 minutos, o atacante Lucas Busato perdeu uma grande oportunidade ao tentar cruzar a bola, mas chutou muito forte, longe do gol de Rodrigo. Aos 37, o goleiro atleticano Marcinho salvou a equipe, ao espalmar um chute preciso de James, que deu trabalho para a zaga rubro negra. Nos minutos finais do primeiro tempo o time alviverde ainda atacou mais uma vez, numa jogada rápida de Bruno, que chutou por cima do gol.

Pelo lado atleticano, Lucas Busato chutou em cima do goleiro, após uma bela tabela com Jadson. O Coritiba deu a resposta com Laércio, que quase empatou a partida, mas não soube dominar a bola.

No intervalo, o técnico Lio Evaristo substituiu Lucas Busato por Edvaldo, que deu bastante trabalho para a zaga alviverde. Do lado alviverde, Édson Borges trocou Okimoto por Rafael. Alguns jogadores do time principal como Diego, Izaías, Alessandro e Fabrício apareceram nas arquibancadas para incentivar o time atleticano.

O jogo permaneceu bastante disputado entre os dois times logo no início do segundo tempo, dando trabalho para o árbitro Maurício Batista dos Santos, que distribuiu muitos cartões amarelos para ambas as equipes.

Aos 13 minutos, Dinei quase marcou para o time atleticano, mas acabou sendo desarmado por Nelsinho, que jogou a bola para escanteio. Minutos depois, Jadson conseguiu espaço e chutou de fora da área, numa bela defesa do goleiro Rodrigo.

No Coritiba, Laércio saiu para a entrada de Thiago Santos. Aos 20 minutos, Henrique bateu uma falta perigosa e a bola bateu no travessão, assustando o goleiro Marcinho. A resposta atleticana veio com Murilo, que arrancou e cruzou para Dinei, que chutou rente à trave esquerda. Após o lance, o atacante foi substituído por Anderson Gomes.


Jadson cobra o pênalti e faz o segundo

O Atlético continuou com a pressão e aos 23 minutos, Márcio Egídio fez pênalti em Edvaldo, que entrou muito bem na partida, no início da etapa final. Jadson cobrou e marcou o segundo gol do Atlético, reacendendo a esperança atleticana, que precisava de apenas mais um gol para levar a decisão do título para os pênaltis.

O Coritiba realizou sua terceira e última substituição, saindo Bruno para a entrada de André. Numa cobrança de escanteio, James cruzou e Marcinho deu um soco na bola, afastando o perigo. Já o Atlético recuperou a bola e partiu para o contra-ataque. Murilo cruzou e Evandro cabeceou, mas acabou se chocando com o goleiro alviverde.

Aos 31 minutos, Rafael, do Coritiba, deu uma cotovelada em Evandro e foi expulso. Com um jogador a menos, o alviverde se segurava como podia e se desdobrava para barrar as jogadas do atacante Anderson Gomes. O lateral-esquerdo Stanley foi substituído por Thiaguinho.

Aos 42 minutos, o meia Ticão deu um chute forte de fora da área, acertando a trave do goleiro alviverde. Minutos depois, o meia foi atingido numa falta violenta por Henrique, que acabou sendo expulso. O Atlético ainda tentou mais duas vezes com Jadson, numa cobrança de falta e em um escanteio. O zagueiro atleticano Lucas Martins foi expulso após forte entrada em Nelsinho, do Coritiba.

Já nos acréscimos, o rubro-negro pressionou ainda mais o time alviverde, numa jogada bonita de Edvaldo, que perdeu um gol feito, chutando por cima do gol. Tentou também tentou com o meia Evandro que chutou muito fraco, mas não havia mais tempo.

O Atlético ficou com o vice-campeonato, embora tenha encerrado a competição com a melhor campanha e o melhor ataque, além de contar com os dois vice-artilheiros do Estadual (Evandro e Dinei, com 7 gols).

Reportagem: Monique Silva / Fotos: Julia Abdul-Hak

Paranaense de Juniores – (10/12) – Atlético 2 x 0 Coritiba – CT do Caju
A: Maurício Batista dos Santos (PR); CA: Evandro, Thiago Costa, Dinei e Márcio Egídio; CV: Rafael, Henrique e Lucas Martins; G: Murilo, aos 10 do 1°; Jadson, aos 23 do 2°.

ATLÉTICO: Marcinho; Murilo, Thiago Costa, Lucas Martins e Stanley (Thiaguinho); Alan Bahia, Ticão, Evandro e Jadson; Dinei (Anderson Gomes) e Lucas Busato (Edvaldo). T: Lio Evaristo.

CORITIBA: Rodrigo; James, Tiago Soler, Miranda e Okimoto (Rafael); Nelsinho, Márcio Egídio, Cacique e Henrique; Bruno (André) e Laércio (Thiago Santos). T: Édson Borges.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…