22 dez 2003 - 10h49

Dossiê 2003: os laterais rubro-negros

Na opinião da torcida rubro-negra – retratada na atual pesquisa da Furacao.com -, a lateral foi a segunda posição mais carente do elenco do Atlético em 2003. Além da reclamação quanto à qualidade demonstrada em alguns jogos, também preocupa a ausência de atletas disponíveis tanto para a lateral-direita quanto para a esquerda.

Alessandro e Ivan foram titulares absolutos durante todo o ano, seja com Heriberto da Cunha, com Vadão ou com Mário Sérgio. Alessandro ficou afastado da equipe durante um período, no início do segundo turno do Brasileiro, para recuperar a forma física.

Na ausência dos titulares, várias opções foram testadas. David, ex-atleta dos Juniores, recebeu mais chances de substituir Alessandro no início do ano. Com a chegada de Mário Sérgio, foi relacionado poucas vezes para o time principal. Janiro, contratado durante o Campeonato Brasileiro, não disputou nenhuma partida neste campeonato – só foi utilizado durante a Copa Sesquincentenário.

O jovem André Luiz, convocado para a Seleção Sub-20, poderia surgir como boa opção, mas ficou afastado dos gramados em função de uma pubalgia. Assim, foram testados na lateral-direita os meias Rodriguinho, Luciano Santos, Alan Bahia e até Fernandinho.

No lado esquerdo, Ivan deu poucas chances aos suplentes. Michel Bastos também chegou ao clube durante o Brasileiro, mas Mário Sérgio o escalou poucas vezes. Com a saída de Ivan, tiveram chances o volante Izaías e o meia Fabrício.

ALESSANDRO
Alessandro é um dos jogadores que está há mais tempo no Atlético. Chegou ao clube em 2000 e recebeu uma chance do técnico Antônio Lopes. Jogou muito bem e chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira em algumas oportunidades. Neste ano, teve uma temporada irregular. Não marcou nenhum gol e teve atuações muito criticadas durante o Brasileiro. Chegou a ser afastado do grupo para recuperar a forma física, mas voltou ao time e se manteve como titular até o final do ano.

IVAN
Jogador revelado nas categorias de base, recebeu uma oportunidade com a negociação de Fabiano para o São Paulo, ocorrida em janeiro. Foi efetivado no time de cima e chegou a ser ameaçado por Jean, destaque na Seleção Brasileira Sub-20. Porém, recebeu a confiança de Vadão e foi mantido no time. Com a chegada de Mário Sérgio, passou a ser responsável também por cobranças de faltas e escanteios. Foi sacado do time nos últimos jogos em razão de uma cirurgia na boca.

DAVID
David foi revelado no time profissional do Atlético durante o Brasileiro de 2002. Originalmente meio-campista, ele se adaptou à lateral e investiu na função. Com Vadão, era o reserva imediato de Alessandro, mas não chegou a jogar uma boa partida. Mário Sérgio o afastou da equipe, abrindo uma chance para ele jogar a Copa Sesquicentenário. Foi capitão do time e ergueu o troféu de campeão. No final do ano, voltou a jogar o Campeonato Brasileiro.

MICHEL BASTOS
Muito jovem, Michel destacou-se no Pelotas e foi negociado com o futebol holandês. O Atlético anunciou sua contratação para compensar a saída de Jean, na metade do ano. Rápido e habilidoso, Michel não aproveitou bem as primeiras chances e também não foi muito aproveitado pelo técnico Mário Sérgio. Outro que se utilizou da Copa Sesquicentenário para mostrar suas qualidades.

Conheça mais sobre os laterais do elenco do Atlético:



Alessandro



David


André Luiz


Janiro

Ivan


Michel Bastos
       


Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…