19 jan 2004 - 18h25

Muito suor pela frente

Depois de um árduo período de duas semanas de intensos trabalhos físicos no Centro de Treinamentos do Caju, comandados pelo preparador físico, Flávio José Trevisan, o elenco atleticano finalmente realizou seu primeiro coletivo no último sábado. No entanto, os trabalhos físicos da pré-temporada 2004 ainda não estão perto de acabar. Flávio Trevisan, natural de Caconde (SP), é bacharel em Educação Física pela PUC de Campinas (1982) e já trabalhou no Ituano, Rio Branco-SP, Catanduvense, Novorizontino, Corinthians, Palmeiras, Al Hilal-ARÁ, Colo Colo, Gamba Osaka, Shimizu S-Pulse, Portuguesa, Guarani, Internacional, Matonense, Coritiba e Bahia como preparador físico. Neste último final de semana, a Furacao.com entrevistou Flávio Trevisan a respeito dos trabalhos que estão sendo realizados até o momento. E descobriu que os jogadores atleticanos ainda terão de suar muito para ficar em “ponto de bala” para conquistar vitórias neste ano.

Como você recebeu a proposta do Atlético para sua contratação?
Foi no dia 30 de dezembro de 2003. O Mário Sérgio me ligou e eu prontamente aceitei porque tinha esse propósito de trabalhar com ele e ainda mais trabalhar com o Mário em um grande clube como o Atlético Paranaense.

Quanto tempo é necessário para realizar a pré-temporada que o Atlético programou?
Não sei exatamente quanto tempo, mas seria bom pelo menos uns 30 dias. É lógico que não são 30 dias apenas de preparação física, mas a gente vai montar nesses 30, 40 dias uma boa base da preparação física para que os atletas vão atingindo seu melhor nível de desempenho durante as competições que o Atlético for disputar.

Como pode ser avaliada a preparação física do elenco até o momento? Está num nível bom ou ainda falta muito?
Acho que falta muito. Nós estamos finalizando a segunda semana de treinamento. Evidentemente que duas semanas não é um tempo hábil para ver progressos em termos de ganhos considerados altos. Houve um empenho muito bom dos atletas, acho que volume e a intensidade de treinamento foi excepcional. É claro que houve um evolução muito boa, mas estamos apenas no príncipio da temporada e esperamos dar seqüência neste trabalho iniciado aqui, porque nós entendemos que é um ano difícil, com muitos jogos, com o campeonato estadual e depois o brasileiro. Nós temos um objetivo grande pela frente, estamos trabalhando com ritmo intenso porque a competição exige isso. E esperamos manter todo esse ritmo por toda a temporada

Até o momento, quais jogadores estão se destacando nos trabalhos físicos?
Não tenho o hábito de dizer um ou outro, eu prefiro destacar o do grupo. É claro que sempre tem um com certo destaque. Mas, eu prefiro destacar a vontade que eles estão tendo de superar este momento princípio de temporada. Todos merecem um destaque especial pela carga de trabalho que eles estão realizando até o presente momento.

E tem algum caso que preocupe mais?
Tem o caso do Marinho, que é um atleta que ficou muito tempo parado, está com o percentual de gordura um pouco alto e alguns quilos acima do seu peso normal. Então é um atleta que tem feito uma pré-temporada diferenciada para queimar mais a gordura e ganhar um condicionamento melhor na parte aeróbica. Então, no caso desse atleta, a preparação vai durar um tanto mais, já que a situação exige um tipo de preparação mais lenta.

Como será definido o time para os primeiros jogos do Campeonato Paranaense? Todos os jogadores estão liberados?
O Mário Sérgio vai escolher, dentre o grupo que está treinando, um time para jogar. Todos são importantes e não está sendo feito nenhum tipo de diferenciação quanto aos atletas. Nós estamos fazendo um trabalho muito bom com todo o grupo e o Mário vai escolher os atletas que ele achar que estiverem em melhores condições. Todos os jogadores, à exceção do Marinho, estão à disposição do Mário Sérgio em termos físicos.

Ao lado dos treinos físicos, os jogadores também estão participando de um programa de musculação. Esse trabalho será mantido até quando?
Até o final do ano. Iniciamos o trabalho de musculação de uma forma, usando mais a resistência muscular. Depois vamos progredindo durante o campeonato, diminuindo a frequência de trabalho para apenas 2 ou 3 vezes por semana com carga e velocidade mais rapida, mas menos repetições. Vai ser seqüêncial, ficando até o final do ano. Apenas vai variar o volume, a intensidade e os movimentos.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…