1 fev 2004 - 8h37

Hoje é dia de Atletiba

Atletiba não é um jogo comum. Atletiba é como um campeonato à parte. Mais vale vencer um Atletiba do que um campeonato. Quantas vezes você já ouviu essas frases? A mística em torno do maior clássico do Paraná é mesmo fascinante.

O atleticano sabe que no Atletiba o coração bate mais forte, a vontade de gritar e empurrar o time é maior e o gostinho da vitória é inesquecível. Se o clássico estava desmotivado pelo fato de ainda ser início de temporada, a polêmica decisão tomada pelos dirigentes apimentou a rivalidade e despertou interesse.

Na sexta-feira pela manhã anunciou-se que a torcida do Atlético não poderia ir ao Couto Pereira, por medida de segurança. Vários rubro-negros se revoltaram. Inconformados com a impossibilidade de dar seu apoio ao Atlético, algo tão essencial quanto respirar ou comer. A revolta deu resultado. No final da tarde, a medida foi revogada pelo Secretário de Segurança do Estado.

Muitas pessoas que ainda não haviam decidido se iam ou não ao jogo acabaram se animando. As torcida organizadas preparam uma grande festa para colorir o estádio de rubro-negro.

Dentro de campo, a motivação é semelhante. O time está numa boa fase e vem de três vitórias em três jogos, com apenas um gol sofrido. O entrosamento está garantido pela manutenção do escalação nos primeiros jogos e o preparo físico foi obtido graças à pré-temporada comandada pelo preparador físico Flávio Trevisan.

Time

O técnico Mário Sérgio não confirmou o time titular para o primeiro Atletiba de 2004. Ele revelou que ainda tem dúvidas na lateral-direita (entre Alessandro e William) e no meio-campo (Alan Bahia, Rodriguinho e William disputam duas vagas). O restante da equipe é o mesmo que vem atuando no Paranaense.

A novidade estará no banco de reservas, com a presença do jovem Raulen, cuja documentação foi regularizada nesta semana. Ao seu lado estará o atacante Renna, principal opção ofensiva, uma vez que Washington ainda não tem condições de jogo.

Dentro de campo, os principais destaques rubro-negros são os jovens Jadson e Fernandinho. O primeiro é um dos artilheiros do campeonato e marcou gol em todas as partidas até o momento. Já Fernandinho vem sendo a principal opção ofensiva e foi muito elogiado por Mário Sérgio no último jogo, contra o Malutrom.

4ª Rodada – Paranaense – (01/02/04) – Coritiba x Atlético
L: Couto Pereira; A: Cleivaldo Bernardo (PR); H: 16h; T: Rádio CBN (90.1 FM) e Net (ppv).

CORITIBA: Fernando; Jucemar, Danilo, Reginaldo Nascimento e Lira; Ataliba, Roberto Brum, Capixaba e Éder; Bruno e Laércio. T: Antonio Lopes.

ATLÉTICO: Diego; William (Alessandro), Rogério Corrêa, Alessandro Lopes e Marcão; Alan Bahia, Ramalho, Rodriguinho (William) e Jadson; Ilan e Fernandinho. T: Mário Sérgio.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…