22 mar 2004 - 18h59

Opinião de Ricardo Campelo

Leia abaixo a opinião do colunista Ricardo Campelo:

Erros em série

Antes de voltar ao assunto dos ingressos, gostaria de agradecer aos e-mails que chegaram à Furacao.com, em número tão grande que não pudemos responder individualmente a todos. Agradeço em meu nome, no da Equipe, e dos outros colunistas que estão buscando expressar sua indignação, com esperanças de ver uma mudança de atitude.

É realmente difícil de acreditar que uma diretoria, que sempre acertou muito mais do que errou, possa iniciar uma série desenfreada de atos errôneos, em claro prejuízo ao objetivo comum de todos nós, o Clube Atlético Paranaense. Pois, quando escrevo aqui ou quando discuto com outros colegas sobre este tipo de assunto, não estou visando o meu direito pessoal de ir ao estádio, e sim o de toda a nação rubro-negra. Mesmo se recebesse de presente “season tiIckets” para a década inteira, eu continuaria infeliz, pois para mim nada adiantaria ir um estádio vazio para acompanhar o extermínio da torcida atleticana.

Os Erros

A opinião não é minha, mas de pelo menos 90% de atleticanos ou desportistas com quem tenho contato: a nova política de ingressos do Atlético é um grande erro. Pior que isso, é um erro permeado e seguido de vários outros erros, a seguir analisados.

Clube Empresa

Se o Atlético pretende mesmo iniciar seu projeto de Clube Empresa, começou mal, e muito. Ou alguém aqui já viu alguma empresa, a fim de compensar custos altos ou quaisquer outras dificuldades financeiras, simplesmente aumentar em 100% o preço de seus produtos, em um golpe só? Com relações de consumo, não é fácil assim. Seria hilário imaginar, por exemplo, o Presidente da Renault anunciando um aumento de 100% preço das unidades automobilísticas, sob a justificativa de que os custos estão muito altos, e que o atual Governo do Estado não incentiva a empresa como fazia o anterior. Volkswagen, Fiat e outros concorrentes iriam adorar.

Aliás, parece que falta aos nossos dirigentes a consciência de que o Clube está inserido em um nicho econômico. E que neste nicho existem concorrentes. E que, sendo o Atlético uma (ou melhor, a única) peça destoante dentro deste nicho, tende a perder mercado para estes concorrentes. O “fanatismo” do torcedor atleticano não é maior do que suas necessidades pessoais e familiares, nem que as leis da economia, e, pelo menos quanto às novas gerações de torcedores, a perda de torcida será inexorável.

Não adianta querer argumentar que o Atlético tem o melhor estádio, o melhor CT, etc. O São Paulo tem o maior estádio particular do mundo, assim como o Cruzeiro tem um CT do mesmo nível que o do Caju, e nem por isso estão impondo aos seus torcedores – ou consumidores, como queiram – preços insuportáveis pela sua capacidade econômica. E olhe que estes Clubes estão disputando a Taça Libertadores da América, maior competição do continente.

Preço x Arrecadação

Outro grande erro da diretoria é a criação de uma premissa segundo a qual aumento de preço é igual a aumento de arrecadação. Ora, se esta matemática funcionasse assim tão fácil, o mercado seria uma grande “teta” de lucros. Todos sabem que o valor do ingresso influi diretamente na presença do público, e o impacto de um aumento de 100% terá proporções certamente imensas.

Com a devida vênia ao colega Juliano Ribas, mas apostar que jogos contra Criciúma, Ponte Preta ou Paysandu terá público de 4000 pessoas, com o ingresso a R$ 30,00 reais, é uma grande ilusão.

Do meu ponto de vista, está muito claro que a média de público vai cair tanto, que tornará a arrecadação ainda menor do que com o ingresso a R$ 15,00. Desta opinião, compartilha a maior parte dos desportistas e jornalistas, o que impõe a conclusão de que, ainda que estejamos errados, a atitude da diretoria é, no mínimo, extremamente arriscada. Some-se a isto a perda da pressão que a torcida exerce, e o resultado não pode ser outro senão classificar como péssimo negócio este aumento absurdo. Ou será que a torcida não exerce nenhuma influência no resultado?

Opressão

A data de ontem ficou marcada por episódios impressionantes dentro da democracia em que vivemos. Impedir a Rádio Transamérica de ingressar no Estádio para exercer suas atividades, por ter apresentado ponto de vista diferente do da diretoria, foi algo que fez lembrar tempos de ditadura. Ainda que tenham ocorrido as ofensas por parte de um dos jornalistas, nada justificaria barrar a Equipe inteira. O mesmo se diga quanto à brutalidade dos seguranças que apreenderam uma faixa de protesto carregada por torcedores durante a partida.

Totalitarismo, absolutismo, repressão e imposição de um ponto de vista, ao longo da história, nunca tiveram correlação com benefício aos “súditos”. Com estas atitudes, fica ainda mais difícil acreditar que esta administração traga benefícios aos torcedores do Atlético.

Hipocrisia e Demagogia

Eu considero demagogia os dirigentes mencionarem o preço do pacote (R$ 25,00) como se fosse o valor real do ingresso. Ora, não são todos torcedores que podem comparecer a todos os jogos, e muito menos são aqueles que podem pagar por tudo isto à vista, pois nem mesmo têm cartões de crédito. Eu considero hipocrisia falarem no preço do ingresso para menores e estudantes (R$ 15,00) como se fosse o valor real do ingresso. Ora, se o Brasil legisla no sentido de dar 50% de desconto a menores e estudantes, é para dar-lhes um benefício. E 50% de um preço absurdo não deixa de ser um valor alto, que não é, assim, benéfico ao torcedor. Sem falar que a maior parte da torcida – quando teve oportunidade de estudar – já concluiu sua faculdade, e não goza desta benesse.

Eu considero demagogia utilizar, como argumento a favor dos “season tickets”, a possibilidade de o adquirente freqüentar eventos diversos na Arena. Ora, quem quer pagar por eventos de realização incerta e de protagonistas indeterminados? Presidente, eu quero ir à Baixada ver o Atlético, e não o show do Rouge ou de Sandy e Júnior.

Eu considero hipocrisia o Presidente do Conselho dizer, nas entrevistas, que o “não será um movimento isolado dos Fanáticos que nos fará mudar de posição”. Ora, o protesto sequer foi iniciado pela Torcida Organizada, que o que fez foi aderir às manifestações organizadas por torcedores comuns com faixas, cartazes e adereços. Sem falar no debate que está havendo na internet (nos sites, no nosso Fórum, etc.) e em todos os veículos de comunicação. Presidente, o Sr. sabe muito bem que o descontentamento é geral.

Eu considero hipocrisia o Presidente do Clube dizer que o “povão” não está sendo excluído pela diretoria, pois é excluído pela própria sociedade. Ora, é evidente que existem, infelizmente, pessoas sem as mínimas condições de assistir a qualquer tipo de espetáculo. Mas o que a diretoria está fazendo é excluir do estádio uma boa parcela da população que pode e vem assistindo aos jogos do Atlético.

Eu considero demagogia o Presidente do Clube fazer associação entre os torcedores que protestaram ontem e criminosos, que “depois do jogo pegam seus ônibus e vão para seus bairros praticar seus crimes”, pessoas que, segundo ele, não são bem-vindas no estádio. Ora, será que cabe ao Clube invadir a competência da Polícia e do Judiciário, julgando pessoas pela sua classe social e afastando-as dos campos de futebol?

Eu considero demagogia o Presidente do Conselho dizer que irá mudar sua opinião desde que os sócios do Clube assim requeiram. Ora, sabemos que os antigos proprietários de cadeiras estão sendo paparicados e que os sócios receberão vantagens especiais com esta nova política de ingresso. Ademais, seria deixar na mão das pessoas que possuem alto poder aquisitivo (sócios) o direito de opinar sobre o preço do ingresso. E fica a pergunta: quando o Clube teve um dirigente envolvido em escândalos de arbitragem (1997), foram os sócios que pegaram ônibus e foram protestar na frente da CBF, no Rio de Janeiro?

Eu considero hipocrisia o Presidente do Conselho dizer que está aberto a “sugestões” sobre maneiras de o Clube se sustentar sem este aumento de ingresso. Pois sabemos que nada será considerado por uma diretoria que demonstra o totalitarismo de suas últimas atitudes.

Sugestões

Mas, como a paixão é grande, apresentemos sugestões, mesmo sabendo que não serão sequer apreciadas pela Diretoria.

A primeira delas: sugiro que os dirigentes acessem o site do São Paulo Futebol Clube (http://www.saopaulofc.net/sociotorcedor/index.asp – Planos Ouro, Prata e Bronze, à direita) e confiram as vantagens que o Clube oferece aos seus torcedores, por um preço muito menor do que o proposto pelo Atlético.

A outra é pensar um pouco na democracia e, no mínimo, criar setores diferentes no estádio. Mesmo porque entendo que a pessoa que assiste o jogo de trás do gol não pode pagar o mesmo preço do que aquele que o faze na reta superior (antigo setor das “cadeiras”). Pois então, por quê não deixar ao menos este espaço de trás do gol a preços decentes (no máximo R$ 15,00) para que o público em geral possa continuar comparecendo?

Estas são as considerações de um torcedor apaixonado, e muito preocupado com o futuro do Clube.

Ricardo Campelo
Colunista da Furacao.com

O autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo de seu texto. Entre em contato



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……