14 abr 2004 - 11h32

Opinião de Ricardo Campelo

Quando vejo um Atletiba no Couto Pereira, tem uma coisa que me impressiona: a raiva que toma conta dos jogadores “deles”. Ganhar um Atletiba, para eles, é tudo. Jogam como se fosse a última partida de suas vidas, chegam junto, insulflam a torcida, e até catimbam quando preciso. Provavelmente isto seja movido pelo maior destaque que o Atlético tem obtido – indiscutivelmente – nos últimos anos, mas o fato é que a vontade que os jogadores têm de vencer o clássico é muito grande.

Esta gana de vitória do adversário, aliada à vantagem obtida na primeira partida, e ao clima de instabilidade que querem imputar ao Atlético (como expressou com maestria a Colunista Patrícia Bahr em sua última opinião) são ingredientes que, teoricamente, têm tudo para colocar em risco o título para o nosso Furacão.

Teoricamente, apenas. Nenhum deles se sustenta. A gana deles pela vitória certamente não é maior do que a nossa. Eles podem expressar isto, às vezes, de forma mais intensa, mas quem tem sangue atleticano correndo nas veias deseja a vitória acima de tudo, principalmente contra o arqui-rival, e não há de ser por isso que perderíamos um título importante desta importância, tenho certeza disto.

Quanto à vantagem que eles conquistaram na primeira partida, também não acho nada de mais, sinceramente. Uma vitória simples, como a que eles conseguiram no último sábado, é tudo que precisamos para ficarmos com o título. Nada diferente do que aconteceu nos últimos três Atletibas na Baixada. E nada, também, que nossos qualificados jogadores não possam alcançar, até mesmo para agregar mais um título aos seus currículos.

Por fim, a “instabilidade”. A “crise” que muitos querem incutir ao ambiente do Atlético. Tudo isto, minha gente, não existe. Depende de nós, torcedores, jogadores e dirigentes, simplesmente não acreditar neste fantasma criado pelo lençol de inveja que há muito tempo rodeia a Baixada. Em crise tem de estar o Clube que investiu milhões e se desclassificou na primeira fase de um dos grupos mais fáceis da Taça Libertadores. Clube que até hoje não equilibrou suas dívidas milionárias e que, agora, não terá a renda extra que a classificação para as fases seguintes daquele torneio proporcionaria-lhe, e que serviria para compensar os investimentos. Os jogadores deste Clube é que devem estar preocupados com a percepção de seus rendimentos. Este é o Clube que tem de estar em crise. E não nós. Nós que temos uma estrutura equilibrada, um patrimônio grandioso, estamos em aniversário de 80 anos e precisamos apenas (com toda a relatividade que este termo pode comportar) de uma vitória para conquistarmos mais um importante título para a nossa história.

É hora de nos unirmos. De nos deixarmos contagiar com a paixão atleticana, a gana pela vitória, a vontade de tirar este troféu das mãos dos coxas e colocar na nossa prateleira. Vamos fazê-los voltar para a casa mais uma vez engolindo a vontade de dar a “meia-volta” olímpica para caçoar do estádio que eles tanto invejam. Vamos manter a escrita que perdura desde 1978, última vez em que nos bateram em uma final. Vamos mostrar que as cores vermelha e preta são as que tem mais valor nesta cidade, que a época deles já passou, que a hegemonia, hoje, é nossa.

Assim como nosso goleiro Diego escreveu para a torcida, eu escrevo agora para os jogadores, comissão técnica, dirigentes, e novamente para os torcedores. Que todos os jogadores tenham o mesmo espírito de vitória demonstrado pelo nosso arqueiro. Que todos os atleticanos tenham a consciência da importância desta vitória em suas carreiras, em suas vidas. Ser vencedor é tudo que aspiramos. Bater o arqui-rival que quer nos derrubar de qualquer forma é o tempero especial para transformar isto em uma grande festa, certamente inesquecível para todos nós.

Se estão unidos contra nós, uni-vos contra todos. Quanto maiores forem as forças que querem nos derrubar, maior e mais saborosa será nossa vitória.

Saudações rumo ao título,

Ricardo Campelo
Colunista da Furacao.com

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com. Entre em contato.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……

Opinião

Pés no chão

                É impossível não ficar empolgado com o time novamente após o jogo de ontem. Com três vitórias seguidas, o 2×0 contra o Galo em…