15 abr 2004 - 22h46

Em busca do sétimo triunfo

O Atletiba de domingo, na Arena da Baixada, não será um simples clássico. Será a décima primeira vez que os dois times se enfrentam em decisões do Campeonato Paranaense. E,como não poderia ser diferente, quem tem a vantagem nos confrontos diretos é o rubro-negro, que venceu seis e perdeu quatro.

Os confrontos históricos começaram em 1941, ano em que o Coritiba foi campeão. O Atlético conquistou o título do primeiro turno, mas não conseguiu manter a regularidade nos três jogos que decidiram o título. Dois anos mais tarde, conseguiu vencer o Coritiba em duas grandes partidas e conquistou o título estadual. Em 1945, disputou cinco partidas contra o Coritiba e perdeu apenas uma, goleando no primeiro turno e vencendo a última partida em pleno Belfort Duarte, em um jogo histórico.

Na década de 60, apenas um Atletiba decidiu o estadual e não foi favorável ao Atlético. Muito pelo contrário. Após bela campanha durante todo o campeonato de 68, o time ficou muito abaldo pela perda do grande presidente Jofre Cabral e Silva e, em sua última partida, deixou o título escapar no último minuto. O Atlético ainda perdeu mais dois campeonatos, o de 72 e o de 78, antes de virar o placar em cima do rival.

Em 83, os rubro-negros venceram mais uma e, em 90, empataram o número de títulos após os clássicos. A virada atleticana viria oito anos mais tarde. O Atlético havia vencido praticamente todos os seus jogos até chegar às finais, perdendo apenas um. A decisão aconteceu em três jogos. O Coritiba arrancou um empate em casa, mas sucumbiu diante da força atleticana em um campo neutro, o Pinheirão. O Atlético venceu por 4 a 1 e 2 a 1 e vestiu a cidade de rubro-negro.

O último título atleticano em cima dos rivais aconteceu exatamente há quatro anos, em 2000, quando o zagueiro Gustavo cravou seu nome na história do futebol paranaense. Na primeira partida, Adriano e Cléber fizeram o placar em 1 a 1 e a decisão foi mesmo para a Arena da Baixada. Com a vantagem dos empates, os atleticanos não se abalaram quando Leandro Tavares abriu o placar para o Coritiba. Gustavo empatou o jogo e a última taça do segundo milênio foi parar na galeria atleticana.

Com tanta história, o Atlético entrará em campo neste final de semana sem a vantagem de resultados, mas com uma outra vantagem que é importantíssima. O atleticano estará no estádio e irá empurrar o time para seu sétimo título em cima do rival Coritiba. A marca é histórica e, se depender dos jogadores, a taça continuará sendo erguida no caldeirão rubro-negro por muito mais tempo.

Reportagem: Julia Abdul-Hak, do Conteúdo da Furacao.com



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…