19 abr 2004 - 12h08

Opinião de Ricardo Campelo

Leia abaixo a opinião de Ricardo Campelo:

Paciência

Um dia teria que acontecer. E aconteceu. Pela primeira vez na história, o Coritiba deu a volta Olímpica na Baixada, e pela primeira vez desde que nasci (1979), o Atlético perdeu um título disputando a final contra seu maior rival. Não adianta chorar sobre o leite derramado, já diz o ditado. “Caça às bruxas” também não leva a nada. Mas é importante discutir o que deu errado. Descobrir e aceitar os erros é o primeiro passo para corrigí-los.

Com Mário Sérgio no comando, eu sentia que o título era difícil. Quando muitos disseram que ganháramos o título no sábado passado, ao perder por apenas um gol de diferença, eu já acreditava termos perdido o título por não termos conseguido um empate ou uma vitória. Tentei, durante toda a semana, buscar um otimismo, procurar motivar a nação atleticana, já que a esperança é a última que morre. Mas nosso treinador tratou de enterrá-la. Mário Sérgio, durante todo o campeonato, escondeu-se atrás de uma invencibilidade inócua. Venceu vários times do interior, mas nos três confrontos com o único time do mesmo nível que o nosso, foram dois empates e uma derrota. Enquanto o treinador adversário buscava a vitória mesmo quando o empate lhe beneficiava, Mário jogava de forma defensiva mesmo quando o resultado não nos favorecia. “Quem abdica do ataque, acaba levando gol”, é o chavão dos comentaristas desportivos. Aliás, Mário Sérgio, como treinador, mostrou-se um ótimo comentarista.

É de se comentar o lamentável incidente ocorrido no final da partida, quando pseudo-torcedores depredaram o patrimônio do clube, quebrando cadeiras e arremessando-as ao gramado. É uma lástima que pessoas ataquem o próprio Clube para descontar sua raiva contra dirigentes ou quem quer que seja. Estas pessoas têm de ser identificadas e devidamente punidas (algo improvável, vez que sequer os cambistas, que praticaram seus ilícitos livremente, receberam punição). O que não se pode é cometer o oportunismo de pretender justificar a majoração do ingresso em razão deste tipo de atitude. Associar este vandalismo às pessoas de baixa renda será uma generalização tão mesquinha quanto à cometida pelo nosso Presidente quando chamou os torcedores de criminosos. Aliás, ele está de parabéns pelas entrevistas de ontem. Parece ter aprendido com os próprios erros, e se mostrou bastante temperado ao comentar sobre o vandalismo. Espero que continue assim, e não procure um argumento inócuo para justificar o injustificável, que é manter o ingresso a R$ 30,00.

O que o Atlético precisa é rever seus erros. Sanar a desunião que toma conta do ambiente. Nossas glórias foram conquistadas quando havia integração entre time, diretoria, e torcida. Sem isto, os resultados vão continuar sendo estes. Vamos abrir os olhos.

Mas é isso aí, Mário Sérgio errou, e sendo ele nosso técnico, merecemos o revés. A zaga, mal postada, é nossa. O ataque que não marcou gols, é nosso. Parabéns ao adversário que soube superar nossas limitações. Esta vitória foi saudável para a rivalidade. Podem ter certeza que nosso próximo triunfo terá um sabor especial, após esta derrota tão dolorosa. Abusando dos chavões: “O doce só é doce pela ausência do amargo”.

Ricardo Campelo
Colunista da Furacao.com

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……