23 abr 2004 - 1h35

Opinião de Marçal Justen Neto

Leia abaixo a opinião de Marçal Justen Neto:

Opinião: Tática

Qualquer pessoa que acompanhe minimamente futebol sabe que existe uma tática quase infalível para aproveitar a vantagem de ter um jogador a mais numa partida – ainda mais dois. A solução é simples: paciência.

A empolgação pode custar caro. O time vai desordenamente para o ataque e acaba levando um gol num contra-ataque. Então, a arma consiste em tocar pacientemente a bola no ataque, cansando o outro time e obrigando os adversários a correrem mais do que os seus jogadores. Quando se tem essa vantagem por trinta minutos, é inadmissível que não se consiga ao menos criar uma chance de gol.

Pois foi isso que aconteceu com o Atlético contra o São Paulo. Jogando com dois jogadores a mais durante meia hora, não conseguiu criar uma boa chance de gol e acabou sendo derrotado de forma melancólica. O que mais irritou a torcida foi apatia tanto dos jogadores quanto da comissão técnica.

A omissão do interino Julio Piza foi desesperadora. Mesmo com Renna e Ricardinho no banco, ele confessou que sequer passou pela cabeça dele colocar um desses jogadores em campo. Teria sido muito simples: um deles (ou os dois) aberto nas pontas e o time tocando a bola até cansar a defesa são-paulina. Mais cedo ou mais tarde, eles iriam falhar e teríamos chance para marcar. Com tanto zagueiro e volante no time, o técnico não precisaria nem pensar muito. Podia ter escolhido qualquer um deles (Ramalho, Alan, Igor, Marinho ou mesmo William) e colocado um atacante no lugar.

É simples explicar a tática: colocando jogadores fixos nas pontas e fazendo a bola rodar, obriga-se o adversário a deixar o meio da zaga para marcar a bola. Com isso, abre-se espaço na frente da zaga e surgem as chances. O que não dá para acontecer é fazer o que o Atlético fez: tentar avançar pelo meio. Ora, o São Paulo estava com 7 jogadores na frente da área. O Atlético atacava com 4 ou 5. Portanto, não se aproveitava de nenhuma vantagem!

Uma dúvida me passa pela cabeça: se com o Atlético precisando vencer o técnico não chegou nem a cogitar colocar mais um atacante no jogo, em que situação ele imaginaria aproveitar Ricardinho e Renna, que estavam no banco?

Apesar da raiva pela derrota, a acho que nem tudo está perdido. Não precisamos de muitos reforços (um lateral-direita, um volante e um meia) e de um técnico decente. Por favor, contratem um técnico decente. Isso faz uma diferença…

Por fim, quero registrar que não estou com vergonha do time. Estou triste.

Marçal Justen Neto
Editor da Furacao.com

O conteúdo da opinião acima é de responsabilidade exclusiva de seu autor e não expressa necessariamente a opinião dos integrantes do site Furacao.com.

Entre em contato.



Últimas Notícias

Opinião

Um Athletico! Uma vida!

E lá se vão 49 anos. Isso aí, 49! Ano do Furacão! E como vivi esse Athetico! E como estou vivendo, feliz e não menos…