2 maio 2004 - 20h47

Esse filme eu já vi…

Atlético e Coritiba empataram por 1 a 1 em jogo realizado na noite deste domingo na Arena da Baixada. Pela terceira vez neste Campeonato Brasileiro, o adversário ficou com um jogador a mais, mas o Atlético não soube aproveitar.

O rubro-negro começou o jogo sufocando o adversário. Logo nos primeiros segundos, o time partiu para cima do Coritiba e deixou o adversário atordoado. Aos 2 minutos, Jadson cobrou escanteio da direita, mas a zaga cortou. Fernandinho ganhou o rebote de cabeça e avançou para receber passe de Marinho na entrada da área.

Jogando improvisado na lateral, o meia passou pelo goleiro Fernando, mas adiantou demais a bola e e cruzou para o centro da área. Totalmente livre dentro da pequena área, Dagoberto só completou para o fundo da rede, marcando seu primeiro gol no ano com a camisa do Atlético.

O gol explodiu a torcida, que praticamente lotou a Arena da Baixada. Minutos depois, os torcedores foram brindados com um jogada maravilhosa. Fazendo linha de passe desde a defesa, Jadson e Alan Bahia puxaram um contra-ataque e lançaram Ilan na corrida. O atacante avançou com a bola, mas foi desarmado por Miranda na risca da grande área. Ele pediu pênalti, mas o árbitro marcou só escanteio.

Aos 7 minutos, o Atlético voltou a ameaçar com Fernandinho, de cabeça, em jogada que encerrou o melhor momento do time no primeiro tempo. Dois minutos depois, Lira carregou a bola da esquerda para o centro, tocou para Capixaba, que ajeitou para Aristizábal. Da entrada da área, o colombiano bateu certeiro no canto esquerdo do goleiro Diego.

O empate do Coritiba mudou a forma de jogar do Atlético. Nervoso, o time passou a insistir na jogada pelo lado direito do campo, mas o trio Jadson, Ilan e Dagoberto não brilhou como o esperado. Aos 24, Fernandinho chegou a marcar um gol de cabeça em cobrança de falta de Jadson, mas o árbitro marcou impedimento.

Aos 37, Dagoberto relembrou os velhos tempos e fez ótima jogada pela esquerda e driblou dois zagueiros, mas adiantou demais a bola e Fernando fez a defesa. Houve mais dez minutos de jogo, mas sem lances relevantes.

Segundo tempo

Logo no início da segunda etapa, Marcão fez jogada bonita pela esquerda, passou por Jucemar e cruzou na pequena área para Ilan, mas Fernando saiu do gol e evitou o arremate do atacante atleticano. O Coxa respondeu aos 5 minutos, atacando depois de uma falha de Ilan no meio-campo. A jogada foi interrompida com falta, que Jucemar cobrou na barreira.

Assim como no segundo jogo da final do Campeonato Paranaense, as cobranças de falta de Jadson se constituíram na melhor opção ofensiva do Atlético. Na primeira etapa, a defesa do Coritiba tentou deixar os atleticanos em impedimento, mas a tática só funcionou duas vezes. Aos 6 minutos, Jadson cobrou falta e Marinho desviou de cabeça, mas para fora.

Aos 12 minutos, a torcida reclamou pela primeira vez da arbitragem. Dagoberto fez excelente jogada pela esquerda e sofreu falta próximo da grande área, mas o árbitro assistente havia indicado que a bola saíra pela lateral no início do lance. Se o Atlético foi prejudicado, pelo menos o episódio serviu para incendiar a torcida atleticana, que passou a gritar “Furacão” sem parar.

Três minutos mais tarde, Dagoberto foi agredido pelo zagueiro Vágner, que se aproveitou do fato de a bola estar no campo de defesa do Atlético. Porém, o outro árbitro assistente cumpriu corretamente seu papel: avisou ao árbitro da agressão. Com isso, o zagueiro coritibano foi expulso de campo.

Entre os 17 e os 19 minutos, Jadson chegou com perigo duas vezes. Na primeira, o chute passou raspando o travessão; na segunda, Fernando defendeu um chute prensado. Logo em seguida, o técnico Levir Culpi arrancou aplausos da torcida quando substituiu o zagueiro Fabiano pelo atacante Renna, mandando o time para frente. Aos 23, Jadson cobrou falta e a bola passou perto da trave esquerda do goleiro.

Com um a mais, o Atlético passou a pressionar o Coritiba. Aos 26 minutos, Ilan chutou cruzado e quase marcou e, logo depois, Fernando cortou um perigoso cruzamento de Fernandinho. Em mais uma tentativa, Dagoberto sofreu um estiramento muscular e teve de ser substituído por Ricardinho, que fez sua estréia em 2004.

Aos 35 minutos, Jadson fez uma jogava exuberante e bateu colocado com muita categoria, mas a bola novamente passou rente à trave. Nos últimos minutos de jogo, o Atlético diminuiu o ritmo e ainda assustou a torcida aos 43 minutos. Em um lance de infelicidade, Diego trombrou com Fernandinho e a bola quase sobrou para Capixaba marcar.

Aos 45, Ilan recebeu cruzamento de muito longe e cabeceou por cima do gol. A última chance do jogo foi do Coritiba, com Igor chutando da ponta-esquerda na rede pelo lado de fora. Aos 48, o árbitro Luciao Almeida apitou o final do jogo, para lamentação da torcida atleticana.

4ª rodada – Brasileiro – (02/05/04) – Atlético 1 x 1 Coritiba
L: Arena da Baixada; H: 18h; A: Luciano Almeida (DF); CA: Rodrigo Batatinha (15′), Ilan (48′), Pepo (64′) e Aristizábal (71′); CV: Vágner (60′); P: 17.931; R: R$ 200.768,50; G: Dagoberto, aos 2, Aristizábal, aos 9 do 1°.

ATLÉTICO: Diego; Fernandinho, Rogério Corrêa, Fabiano (Renna 65′), Marinho e Marcão (Ivan 82′); Alan Bahia, William e Jadson; Ilan e Dagoberto (Ricardinho 78′). T: Levir Culpi.

CORITIBA: Fernando; Jucemar, Miranda, Vágner e Lira; Márcio Egídio, Pepo, Capixaba e Rodrigo Batatinha (Danilo 62′); André Nunes (Cacique 70′) e Aristizábal (Igor 81′). T: Antonio Lopes.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…