7 maio 2004 - 21h38

Um Atlético desmontado

Diego; Rogério Corrêa; Fabiano, Alan Bahia e Adriano; Dagoberto, Washington e Ilan.

A escalação acima não está incompleta. Isso porque se trata do time de desfalques do Atlético para o jogo contra o Guarani e não da formação da equipe titular. São oito jogadores que não poderão ficar à disposição do técnico Levir Culpi e deixarão o Furacão desfigurado.

São atletas que a torcida está mais acostumada a ver com a camisa rubro-negra do que fora do campo. Diego, por exemplo, é um dos jogadores mais regulares do elenco. Neste ano, ele participou de 19 dos 20 jogos disputados pelo Atlético.

Rogério Corrêa e Alan Bahia são considerados titulares absolutos, enquanto que Dagoberto, Washington e Ilan lutam por duas vagas no ataque. Já Fabiano assumiu a posição há pouco tempo, mas já virou capitão do time. Adriano vive uma situação inusitada: é o jogador mais antigo do elenco, mas não vem jogando graças a contusões.

Problemas

Os problemas mais antigos são os de Adriano e Washington, ambos machucados. O meia sofreu duas lesões seguidas e só deverá voltar ao gramado no próximo mês. Já Washington se contundiu na final do Campeonato Paranaense, mas seu retorno será mais rápido: está marcado para a próxima semana.

Enquanto o artilheiro tratava a lesão muscular, dois velhos conhecidos da torcida assumiram a responsabilidade no ataque: Dagoberto e Ilan. No entanto, nenhum deles poderá enfrentar o Bugre. Ilan recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Coritiba e Dagoberto se machucou no mesmo jogo.

Se o sistema ofensivo vem sofrendo abalos já há algum tempo, nos últimos dias foi a vez de os jogadores de defesa entrarem no inferno astral. Alan Bahia se machucou no último treinamento e fará companhia a Rogério Corrêa, novamente no DM.

Até o jogo contra o Coritiba, apenas quatro jogadores podiam se orgulhar de terem participado integralmente de todos os jogos do Atlético no Brasileirão: Diego, Alan Bahia, Ilan e Jadson. Com os três primeiros de fora, caberá ao meia Jadson a tarefa de continuar com participação 100%.

Dúvidas

Dois jogadores estão machucdos, mas viajaram para Campinas e podem ser escalados caso se recuperem a tempo. O goleiro Diego e o zagueiro Fabiano têm problemas parecidos: ambos sentem fortes dores musculares. Diego teve de ser atendido após chutar uma bola de mal jeito e ter forçado demais a musculatura da coxa esquerda. Caso ele seja vetado, Cléber assumirá a camisa 1.

Já Fabiano sente fadiga pela falta de ritmo de jogo. Além dos problemas musculares, Fabiano tem uma preocupação extra: ele sofreu um corte na testa durante o jogo contra o Coritiba e ainda teme cabecear a bola. A escalação dos dois só será definida momentos antes da partida.

Soluções

Para compensar a ausência de diversos titulares, o técnico Levir Culpi terá de apostar suas fichas nos titulares Marcão, Jadson e Fernandinho. Eles participaram de todos os jogos do Atlético no Campeonato Brasileiro e são considerados intocáveis na escalação principal.

Eles terão a responsabilidade de orientar novatos como os atacantes Renna e Dennys, que até agora não jogaram sequer uma partida como titulares do Atlético. A partida contra o Guarani pode marcar também o esperado retorno de André Luiz à lateral-direita, algo que vem sendo pedido pela torcida desde o Paranaense.

Na zaga, o experiente Igor retorna para formar dupla de área com Marinho, o que deixará o time mais forte no jogo aéreo. Caso Fabiano seja vetado, Bruno Lança ganhará uma chance no meio-campo ao lado de William, agora escalado em uma posição mais defensiva.

5ª rodada – Brasileiro – (08/05/04) – Guarani x Atlético
L: Brinco de Ouro; H: 16h; A: Luís Antônio Silva Santos (RJ).

GUARANI: Jean; Marlon, Juninho, Paulo André e Patrick; Careca, Roberto, Loscri e Luiz Fernando; Alexandre e Viola. T: Joel Santana.

ATLÉTICO: Diego (Cléber); André Luiz, Igor, Fabiano (Bruno Lança), Marinho e Marcão; William, Fernandinho e Jadson; Renna e Dennys. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Torcida

Colecionadores da nossa paixão

Para alguns torcedores atleticanos, não basta apenas vestir a camisa por amor. É preciso guardar algumas, centenas delas num acervo particular, em coleções prá lá…

Torcida

As histórias por trás dos acervos

Cada colecionador é, de certa forma, guardião de um pedaço da história do clube. E cada coleção também acaba criando sua própria história. Nenhuma nasce,…