15 maio 2004 - 22h42

Para Levir, raça da equipe foi fundamental

Quem arrisca, não petisca. Foi com essa máxima que o técnico Levir Culpi empurrou o Atlético para a primeira vitória dentro de casa, diante do Santos. Sentindo que o time estava a perigo de tomar um gol, o técnico promoveu a entrada de Raulen no lugar de Igor, dando outra cara à equipe atleticana, que soube se impor na partida, mostrando raça e qualidade no toque de bola. Além disso, Levir deslocou Fernandinho pro meio de campo, dando maior liberdade ao jogador, que tinha iniciado na partida como lateral.

Na coletiva concedida no final da partida, Levir defendeu a atuação do atacante Ilan, elogiou o espírito de vitória da equipe e pediu o apoio da torcida nos próximos jogos dentro da Arena da Baixada.

Confira a entrevista:

JOGO
“A partida teve um sabor muito especial, pelo momento que o Atlético está vivendo. Estou diariamente com os jogadores e sei que eles queriam muito essa vitória. Felizmente conseguimos os três pontos dentro de casa, que tem uma importância muito grande. Nossa equipe é altamente qualificada. Hoje, estivemos a perigo durante todo o tempo e os jogadores nos mostraram uma força muito grande. Vamos agora buscar manter esses resultados positivos onde só a vitória nos fará lutar pelas primeiras posições”.

ALTERAÇÕES
“Nós prendemos um pouco no começo, fazendo com que o Alan Bahia marcasse o Robinho, mas faltou o meio de campo. Aí eu mudei o sistema tático e valorizei a atuação dos jogadores. Foi até arriscado, porque poderia ter dado tudo errado. Mas eles foram firmes, cada um fez a sua parte, eles estão com um espírito de luta muito grande. Hoje o Ilan não esteve na sua melhor forma técnica, mas acho que nenhum torcedor falou que ele não se empenhou. Tenho certeza que ele vai se recuperar, assim como todos os outros jogadores que estão com falta de ritmo de jogo”.

RESULTADO
“Depois do resultado fica fácil de dizer. Minha aposta foi uma jogada difícil, pois não treinamos muito esta semana. Nossa equipe sempre teve uma cultura no 3-5-2 e hoje eu reestruturei o 4-4-2, colocando o Raulen e o Marcão como laterais, com a cobertura dos zagueiros. A vitória hoje se deve ao empenho físico e a união dos atletas porque eles procuraram fazer o melhor e mostraram raça. O caminho do Atlético é muito otimista, o que me dá a possibilidade de fazer alterações táticas muito importantes. Hoje o Paulo César, Elano e Renato tocaram a bola muito rápido na frente, mas conseguimos espaço no meio com o Fernandinho, que teve maior liberdade pra atuar onde ele sabe. Até os 30 minutos, o domínio do Santos era muito evidente, o que eu sinceramente não esperava. E então eu apostei e mexi no time ainda no primeiro tempo, coisa que eu não costumo fazer, de não esperar o intervalo pra falar com os jogadores. Eu senti que estaríamos ao ponto de tomar um gol e apostamos na vitória. Todos eles estavam com um espírito muito alegre e vencedor, superaram a falta de ritmo e conseguiram a vitória”.

VITÓRIA
“Aqui eu sempre soube que o Atlético tem muita qualidade técnica e poder ofensivo pra vencer. Hoje, apostamos nisso e deu certo. Hoje estivemos ao ponto de perder a partida, mas fomos pra cima deles. A vitória de hoje deve ser aplicada a todos os atletas. Eu não imaginava que hoje o Washington fosse terminar a partida, mas ele estava lá, encarou tudo. Isso me deixou muito feliz e eu espero que a torcida esteja com a gente. O brilho dela reflete em campo e não podemos deixar esses momentos com a torcida para trás, temos que torcer muito pelos jogadores. Pode ter certeza que faremos grandes jogos aqui na Arena”.



Últimas Notícias

Opinião

Pés no chão

                É impossível não ficar empolgado com o time novamente após o jogo de ontem. Com três vitórias seguidas, o 2×0 contra o Galo em…

Brasileiro

Pra cima, Athletico!

Athletico e Goiás fizeram o duelo dos desesperados do Campeonato Brasileiro. O Furacão tenta embalar após vencer o Fortaleza de virada na rodada passada e,…