13 jun 2004 - 19h06

Arbitragem e Fla derrotam o Atlético

O Atlético perdeu por 3 a 0 para o Flamengo em uma noite negra no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Jogando mal, o Furacão ainda foi prejudicado pela arbitragem, que não marcou impedimento no segundo gol flamenguista, inverteu muitas faltas e irritou todo o time atleticano. Com a derrota, o rubro-negro caiu para a oitava colocação do Brasileiro.

O Atlético iniciou o jogo desconcentrado. Logo nos primeiros minutos, o Flamengo avançou duas vezes e concluiu contra a meta de Diego. Aos 3 minutos, o Fla abriu o marcador. O atacante Negreiros aproveitou o cruzamento de escanteio da esquerda e mandou para o fundo da rede. O goleiro Diego tentou cortar o cruzamento, mas passou batido e Negreiros ficou com o gol vazio para marcar. A bola ainda tocou no seu ombro direito antes de entrar.

O gol gerou um efeito contrário no jogo. O Flamengo, que jogava melhor, recuou demais e o Atlético começou a atacar. Depois de uma tentativa de Washington, o Furacão teve um pênalti a seu favor. Washington recebeu cruzamento na área, matou no peito e chutou na zaga. No rebote, Jadson chutou e Fabiano Eller colocou a mão na bola. Jadson cobrou mal o pênalti, chutando rasteiro para fora.

Em um contra-ataque aos 21 minutos, o Atlético acabou sendo castigado. Ibson puxou contra-ataque, tabelou com Jean e recebeu à frente da zaga, em posição de impedimento. Sem a marcação da arbitragem, o meia flamenguista bateu na saída de Diego e aumentou o marcador.

O Atlético continuou criando boas chances, mas pecou na finalização. As melhores jogadas surgiram com Raulen pela direita, sendo aproveitadas pelo atacante Washington. William teve duas boas oportunidades para chutar a gol, mas não conseguiu acionar o goleiro Júlio César, que não fez nenhuma defesa efetiva.

Na primeira etapa, os jogadores atleticanos reclamaram muito da arbitragem, especialmente dos auxiliares. Além do lance do segundo gol do Flamengo, Washington pediu um pênalti, que teria ocorrido aos 42 minutos, mas também não foi marcado. “O jogo está difícil. Com arbitragem ruim, fica mais difícil ainda”, comentou o técnico Levir Culpi no intervalo do jogo.

Segundo tempo

O Furacão voltou para o segundo tempo com uma formação bem ofensiva: o atacante Ilan entrou no lugar do volante Alan Bahia, deixando o time com três atacantes e sem volante de ofício (o meia William passou a jogar mais recuado). Mas a tática acabou indo por água abaixo quando Roger marcou o terceiro gol, aos 2 minutos do segundo tempo.

Douglas Silva cobrou falta no lado direito da área, Reginaldo Araújo desviou para o outro lado e o lateral-esquerda Roger ficou livre para marcar. Diego reclamou do árbitro, alegando que a cobrança não havia sido autorizada, e acabou levando cartão amarelo. Quando Douglas cobrou a falta, o atacante Jean estava conversando com o técnico Abel Braga na linha de fundo, também em posição de impedimento.

Aos 14 minutos, Marcão cruzou para o centro da área e Washington concluiu mal, perdendo uma boa chance para marcar. No minuto seguinte, Washington carregou pelo centro da área e abriu na direita pra Raulen, mas ele foi desarmado por Fabiano Eller antes de chutar. Depois, três jogadores se machucaram em lances diversos e acabaram sendo substituídos: Fabiano (Atlético), Felipe e Negreiros (Flamengo).

Bruno Lança, que entrou no lugar de Fabiano, teve uma boa chance para marcar aos 20 minutos. Marcão cobrou falta na área e Bruno cabeceou forte, mas por cima da trave. Cinco minutos depois, aos 25, foi a vez de Rogério Corrêa cabecear uma bola vinda de cruzamento, mas o goleiro Júlio César fez a defesa.

Aos 30 minutos, o Atlético chegou a marcar um gol, mas que acabou sendo anulado. Washington cobrou falta, o goleiro Júlio César tocou na bola, que bateu na trave e voltou nos pés de Rogério Corrêa. Ele fez o gol, mas o árbitro marcou impedimendo do zagueiro atleticano. Depois das reclamações, Washington foi expulso.

O Fla quase ampliou aos 36 minutos. Jean recebeu na entrada da área, driblou Igor e chutou para o gol, mas Diego fez boa defesa. No minuto seguinte, Athirson surgiu totalmente livre, mas se atrapalhou com a bola e desperdiçou outra ótima oportunidade. Aos 38, foi a vez de Ilan perder uma chance incrível. Ele recebeu livre, mas ao tentar driblar Júlio César acabou carregando a bola para fora do campo.

Aos 45, André Bahia subiu livre na pequena área e cabeceou a bola no travessão do gol defendido por Diego. Um minuto depois, Juliano ficou livre para fazer, mas Diego conseguiu espalmar e mandar para escanteio. Aos 48, num dos últimos lances, Ilan acertou uma boa cabeçada, mas Júlio César fez boa defesa.

9ª rodada – Brasileiro – (13/06/04) – Flamengo 3 x 0 Atlético
L: Raulino de Oliveira; H: 18h; A: Antônio Hora Filho (SE); CA: Felipe (33′), Diego (48′), Dagoberto (54′), Fabiano (56′), Washington (56′), Róbson (67′), Jadson (70′), Reginaldo Araújo (73′), Fabiano Eller (74′) e Athirson (74′); CV: Washington (76′); P: ; R: R$ 81.929,00; G: Negreiros, aos 3 e Ibson, aos 21 do 1°; Roger, aos 2 do 2°.

FLAMENGO: Júlio César; Reginaldo Araújo, André Bahia, Fabiano Eller e Roger; Da Silva, Douglas Silva, Ibson (Athirson 70′) e Felipe (Róbson 63′); Jean e Negreiros (Juliano 62′). T: Abel Braga.

ATLÉTICO: Diego; Raulen, Igor, Fabiano (Bruno Lança 62′, Rogério Corrêa e Marcão; Alan Bahia (Ilan int), William e Jadson; Dagoberto e Washington. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Insanidade

Louva-se o posicionamento do CAP em relação à atitude insana, egoísta e manipuladora do Flamengo, que chegou ao ponto de utilizar-se da peste alcançar seus…

Camisa preta edição especial.

Opinião

Viva a revolução!

Eu sou corneta. Confesso! Se o time vai mal, sou o primeiro a reclamar. Se o time vai bem, tem que melhorar. Se ganhou de…

Notícias

A evolução do Athletico

É inegável a evolução do rubro-negro. Desde a mudança no comando técnico, o Furacão vem evoluindo a cada jogo. Atualmente acumula quatro vitórias consecutivas. Além…