19 jun 2004 - 17h04

Vitória baiana na Baixada

O Atlético sofreu a segunda derrota em casa no Campeonato Brasileiro. O Vitória marcou três vezes com Edílson e se recuperou na competição. Já o Furacão aguarda os resultados da rodada para saber quantas posições se afastou dos líderes. A próxima partida do time paranaense vai ser no domingo, contra o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte.

O Vitória começou a partida tocando bem a bola, esperando uma falha do Atlético para chegar ao gol. Só que aos poucos o rubro-negro paranaense foi dominando o meio-campo e conseguiu levar perigo ao bom goleiro Juninho. Numa das oportunidades criadas por Ilan, o atacante chutou e o goleiro baiano espalmou. No rebote Dagoberto foi derrubado, mas o árbitro Rodrigo Martins Cintra não marcou a penalidade. Na seqüência William mandou para fora.

As chances de bola parada também apareceram bastante no primeiro tempo. No entanto Jadson não estava numa tarde feliz e desperdiçou todas as cobranças frontais ao gol de Juninho.

Pelo lado baiano a primeira bola chutada ao gol foi somente aos 29 minutos, quando Vampeta tentou da intermediária. Depois disso o Atlético criou outras chances de marcar, mas Juninho estava numa tarde inspirada e garantiu o placar parcial de 0 a 0 no primeiro tempo.

Segundo tempo com quatro gols

O Atlético voltou com o mesmo padrão de jogo: arriscando com Fernandinho, Dagoberto e Jadson e com o azarado Ilan fazendo o pivô. Só o atacante perdeu mais três chances de marcar bem próximo ao gol adversário.

E depois de se segurar na zaga por quase uma hora de tempo de jogo, o Vitória mostrou a sua arma fatal: o contra-ataque. Foi assim que Enílton, livre de marcação, só rolou para Edílson fazer o primeiro gol da tarde. A zaga do Atlético parou pedindo impedimento, mas os jogadores baianos estavam mesmo em posição legal.

O gol abalou o Rubro-negro paranaense que, quatro minutos mais tarde, levou o segundo. De novo Rogéiro Corrêa, Alan Bahia e Marinho pararam pedindo uma irregularidade de Edílson. O atacante do Vitória só teve o trabalho de concluir para ampliar o placar.

Depois disso o que se viu foi um time com muita vontade mas sem esquema. Na base da raça Dagoberto conseguiu dar esperanças para a torcida ao ser derrubado na grande área. Ele mesmo converteu o pênalti aos 33 minutos.

Com 12 minutos regulamentares para tentar o empate, o Atlético foi pra cima, mas esbarrou na competência do goleiro Juninho e na incompetência dos homens de frente do Furacão. Aos 48 minutos o goleiro Diego foi para a área adversária tentar marcar o gol do empate. No contra-ataque, novo gol de Edílson, que fechou o placar em 3 a 1 para o time da Bahia.

Saiba mais sobre o jogo:
Análise de Atlético 1 x 3 Vitória, por Ricardo Campelo

10ª rodada – Brasileiro – (19/06/04) – Atlético 1 x 3 Vitória
L: Arena da Baixada; H: 16h; A: Rodrigo Martins Cintra (SP); CA: Cléber (13′), Alex Silva (19′), Rogério Corrêa (43′), Marcelo Heleno (52′), Maestri (56′), Vinícius (73′), Enílton (78′), Xavier (86′) e Arivélton (90′); CV: Marcelo Heleno (77′); P: 8.103; R: R$ 85.125,50; G: Edílson, aos 21 e aos 25, Dagoberto, aos 33, e Edílson, aos 48 do 2°.

ATLÉTICO: Diego; Raulen (Dennys 68′), Marinho, Rogério Corrêa e Marcão (Ivan 74′); Alan Bahia, William (Bruno Lança 79′), Fernandinho e Jadson; Ilan e Dagoberto. T: Levir Culpi.

VITÓRIA: Juninho; Pedro, Alex Silva (Adaílton 62′), Marcelo Heleno e Paulo Rodrigues; Vinícius (Arivélton 76′), Vampeta, Xavier e Cléber; Maestri (Enílton 62′) e Edílson. T: Agnaldo Liz.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…