20 jul 2004 - 23h24

Dagoshow na Arena

Sob frio intenso, Atlético e Fluminense entrarem em campo na Arena da Baixada com a mesma pontuação, 24 pontos na tabela de classificação. A equipe atleticana teve duas modificações, Jadson e Rogério Corrêa. Já o tricolor das Laranjeiras repetiu o mesmo time da vitória sobre o Santos.

Mal começou a partida, o Atléticou já abriu o placar. Aos 2 minutos saiu o gol atleticano em ótima jogada de ataque. Dagoberto tocou para Washington, que ajeitou para Jadson na intermediária. O meia encheu o pé e acertou o ângulo do goleiro Fernando, fazendo um golaço na Arena.

Poucos depois, Jadson lançou Dagoberto na área, o atacante tocou a bola na frente e foi derrubado. Erroneamente, o árbitro não assinalou a penalidade e ainda por cima mostrou cartão amarelo para o jogador.

O Atlético continuou pressionando e obteve sucesso. Washington marcou a saída de bola e Antônio Carlos se atrapalhou. Pingo aproveitou a bobeada e rolou para Dagoberto na entrada da área. O atacante bateu de primeira, mas Fernando conseguiu defender e a zaga tirou para escanteio. Na cobrança, Marinho obrigou o goleiro a fazer outra grande defesa. O gol só não saiu porque no rebote Fernandinho acabou atrapalhando Rogério Corrêa, que estava dentro da área e pronto para marcar.

O jogo continuou bastante movimentado, com as duas equipes levavando perigo nas suas investidas. Num contra-ataque, saiu a jogada que originou o segundo gol atleticano. Jadson levantou na área e Maicon tirou a bola com o braço. Edilson Pereira Carvalho não bobeou desta vez e apontou para a marca da cal. Dagoberto foi para a cobrança e ampliou o placar chutando forte no canto esquerdo.

Até o final da primeira etapa o rubro-negro sempre esteve mais perto de marcar o terceiro gol do que o Fluminense conseguir seu primeiro. Pingo quase ampliou após belo passe de Dagoberto, mas Fernando Henrique dividiu e a bola foi para a linha de fundo.

No entanto, o time carioca não escapou de levar o terceiro ainda no primeiro tempo. Nos acréscimos Alan Bahia fez excelente lançamento para Dagoberto pela esquerda. O atacante driblou Marcão, invadiu a área e bateu rasteiro para marcar e fazer a festa da torcida atleticana no frio curitibano.

Segundo tempo
Na segunda etapa, o técnico Ricardo Gomes colocou o atacante Mauro no lugar de Marcelo. O jogador mostrou vontade e movimentou-se bastante, dando trabalho para a zaga atleticana. Com três zagueiros atrás e Alan Bahia atuando bem, o gol de Diego não sofreu grande perigo. Alan Bahia mostrou raça ao permanecer marcando em campo mesmo sentindo dores por alguns minutos, dando inclusive uma bicicleta para aliviar o perigo.

O matador Washington encontrou muita dificuldade hoje, pois sofreu intensa marcação dos tricolores. O atacante teve uma boa chance aos 10 minutos num chute da entrada da área. Pouco depois partiu desde o meio-campo para cima dos zagueiros, mas tentou entrar com bola e tudo ao invés de tocar para Dagoberto e acabou perdendo a bola.

A partida teve alguns momentos monótonos, voltando a ter lances de perigo somente na metade do segundo tempo. Num lance de pressão sobre o Fluminense, Dagoberto quase marcou o quarto, mas escorregou dentro da área na hora do chute. Na sobra, Jadson bateu forte em cima da zaga.

Jadson voltou a fazer boa jogada e colocou Fernandinho na cara do gol. O meia optou pelo drible, em vez de bater direto, e deu tempo para a marcação chegar e desviar a bola. Na sobra Pingo ainda bateu forte e estufou a rede pelo lado de fora. Alguns torcedores do lado oposto chegaram a comemorar.

Endiabrado, Dagoberto fez mais uma jogada de craque partindo da meia cancha e deixando seus marcadores para trás. Ao invadir a área, a única maneira de parar o atacante foi fazendo a falta. Não deu outra, mais um pênalti para o Furacão aos 36 minutos. Dago bateu rasteiro no canto esquerdo e aumentou a goleada.

Após o gol, Levir sacou Jadson e Dagoberto para a entrada de Morais e Dennys. Na saída Dagoberto desabafou após a goleada sofrida para o Inter: “É a cara que o time tem que ter, dentro e fora de casa. Time que ser campeão tem que se impor”, disse.

No final da partida o Fluminense ainda conseguiu descontar com Mauro. Da direita, Leonardo Moura cruzou para a área, Marinho não achou nada e o atacante adversário mandou para o fundo da rede de Diego. Abalado com o gol, o Atlético afrouxou a marcação e permitiu que o tricolor desse um sufoco em Diego. No entanto, o placar continuou em 4 a 1 até o final da partida.

Com a vitória o rubro-negro fica com 27 pontos na tabela e pula para a sétima posição. Para se aproximar dos líderes, a equipe terá de vencer o Criciúma neste sábado, jogando em Santa Catarina.

Saiba mais:
Análise do jogo Atlético 4 x 1 Fluminense, por Patricia Bahr

17ª rodada – Brasileiro – (21/07/04) – Atlético 4 x 1 Fluminense
L: Arena da Baixada; H: 21h40; A: Edílson Pereira de Carvalho (SP); CA: Dagoberto (4′), Diego (F, 30′) e Zé Carlos (80′); P: 6.923; R: R$ 77.801,00; G: Jadson, aos 2, e Dagoberto, aos 24 e aos 46 do 1°; Dagoberto, aos 39 e Mauro, aos 43 do 2°.

ATLÉTICO: Diego; Pingo, Marinho, Fabiano (Igor 65′), Rogério Corrêa e Ivan; Alan Bahia, Fernandinho e Jadson (Morais 83′); Dagoberto (Dennys 83′) e Washington. T: Levir Culpi.

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Júnior César; Marcão (Zé Carlos 70′), Diego, Maicon e Roger (Tiago 27′); Marcelo (Mauro int) e Alex. T: Ricardo Gomes.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…