23 jul 2004 - 9h46

Transmitindo confiança

O Atlético ainda não é um time confiável. Capaz de brilhantes atuações (como nas goleadas sobre Juventude, Goiás e Fluminense), a equipe tem pecado em jogos decisivos para sua afirmação no Campeonato Brasileiro. As derrotas para Paraná Clube e Internacional adiaram o projeto de chegar à liderança da competição e geraram uma crise de identidade.

Hoje, todos se perguntam: qual o verdadeiro Atlético? Aquele que jogou um futebol empolgante nos últimos três jogos na Arena? Ou o apagado time que sucumbiu diante de times piores classificados no Brasileirão?

A resposta será dada neste sábado, às 16h, quando a equipe entrar no gramado do Estádio Heriberto Hülse para enfrentar o Criciúma. O Tigre já foi líder do campeonato, mas atravessa uma má fase, agravada pela goleada sofrida diante do Santos na última rodada

A postura atleticana deve seguir o pensamento do atacante Dagoberto, vice-artilheiro do time com 9 gols e principal destaque do último jogo. Segundo ele, time que quer ser campeão tem de se impôr. Para isso, precisa manter a qualidade que vem apresentando na Baixada também nos jogos fora de casa.

O técnico Levir Culpi deverá escalar uma equipe muito semelhante em relação ao time que começou jogando contra o Flu. O meia Jadson voltou a jogar bem e dá maior consistência ao meio-campo, razão pela qual será mantido. Com isso, Ilan, já recuperado de contusão, ficará no banco de reservas. Alan Bahia reconquistou definitivamente a posição de titular, uma vez que seu concorrente Bruno Lança está machucado.

A principal dúvida de Levir está na zaga. O capitão Fabiano sofreu uma contratura muscular e pode ser vetado. Neste caso, Igor formará o trio de zagueiros ao lado de Marinho e Rogério Corrêa. Finalmente, outra mudança pode ser o retorno de Marcão à lateral-esquerda no lugar de Ivan, o que fortaleceria a marcação.

Tigre cambaleante

Se a imprensa paranaense tentou construir uma crise no Atlético nesta semana, o Criciúma nem precisa de muito esforço. Os resultados recentes do time e a série de desfalques para o jogo deste sábado já são motivos suficientes para ligar o sinal de alerta no Heriberto Hülse.

Durante a semana, o técnico Vágner Benazzi anunciou que promoveria a escalação do goleiro Roberto, segundo reserva da equipe, deixando o então titular Fabiano no banco. O preparador de goleiros se disse contrário à escolha e uma pequena crise foi deflagrada, fazendo Benazzi voltar atrás.

“Está tudo em paz. Eu pedi para parar com a vaidade”, tentou disfarçar o técnico, que está com o emprego ameaçado. Ele mesmo confessou que cometeu um “excesso” anunciando a escalação antecipada de Roberto.

18ª rodada – Brasileiro – (24/07/04) – Criciúma x Atlético
L: Heriberto Hülse; H: 16h; A: Álvaro Azeredo Quelhas (MG).

CRICIÚMA: Fabiano; Alex, Gilmar Lima, Luciano e Luciano Almeida; Cléber Gaúcho, Geninho, Athos e Fernandinho; Reinaldo e Vagner Carioca. T: Vágner Benazzi.

ATLÉTICO: Diego; Pingo, Fabiano (Igor), Marinho, Rogério Corrêa e Ivan (Marcão); Alan Bahia, Fernandinho e Jadson; Dagoberto e Washington. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……

Opinião

Pés no chão

                É impossível não ficar empolgado com o time novamente após o jogo de ontem. Com três vitórias seguidas, o 2×0 contra o Galo em…