24 jul 2004 - 17h24

Triste rotina fora de casa

Nos dois últimos jogos do Atlético fora de casa, o ponto principal da preleção do técnico Levir Culpi foi a exigência de atenção dos jogadores no início da partida. Nas duas partidas, o Rubro-negro perdeu o jogo justamente nos minutos iniciais. Há menos de dez dias, a torcida atleticana viu estupefata o Internacional fazer 3 a 0 em apenas 17 minutos.

Quando todos esperavam que a goleada tivesse servido ao menos como lição, o Atlético voltou a cometer os mesmos erros e perdeu para o Criciúma por 4 a 1 neste sábado, no Estádio Heriberto Hülse. Também a exemplo do que ocorreu contra o Inter, o Atlético recebeu de volta a mesma goleada que havia aplicado na Arena da Baixada na partida anterior. E, desta vez, a culpa não pode ser colocada na camisa: o Atlético jogou com a camisa rubro-negra, e de calções brancos.

Com 8 minutos de partida, o meia Fernandinho cobrou falta na área atleticana. A zaga se atrapalhou e a bola sobrou para o zagueiro Gilmar Lima, que chutou de pé direito no ângulo superior esquerdo de Diego e marcou o primeiro gol. A bola ainda tocou na trave antes de entrar.

Não deu nem tempo para o Atlético pensar em se recuperar. Sete minutos depois, Athos iniciou jogada no meio-campo e tocou para Alex na lateral-direita. Ele alçou a bola na área e acabou marcando o segundo gol. A bola passou pela frente do goleiro Diego e entrou em seu canto direito.

Atordoado, o Furacão quase levou o terceiro aos 24 minutos, quando Reinaldo passou por Igor e Rogério Corrêa e perdeu um gol feito. O Atlético só chegou à frente aos 32 minutos. Washington recebeu na área e foi derrubado, mas o árbitro Álvaro Quelhas não marcou o pênalti. O gol acabou saindo minutos depois, aos 38. Jadson cobrou falta da direita e Marcão subiu de cabeça para descontar. Aos 45, Fernandinho chutou da entrada da área e obrigou Fabiano a fazer boa defesa.

Segundo tempo: gol anulado, goleada sofrida

Mais tranqüilo, o Atlético voltou muito melhor na etapa final. O time dominou os primeiros 15 minutos e pressionou o Criciúma na luta pelo gol de empate. Aos 5 minutos, Marcão ajeitou para Rogério Corrêa, que mandou para o fundo da rede. Porém, o árbitro mineiro anulou o gol alegando impedimento.

Nos minutos seguintes, Washington e Dagoberto perderam boas chances para marcar. Empolgado, o técnico Levir Culpi sacou o zagueiro Igor e colocou o atacante Ilan, deixando o time mais ofensivo. A esperança de recuperação foi desmanchada aos 19 minutos. Marinho perdeu a bola, Marcos Denner aproveitou, driblou Marcão e chutou no canto esquerdo de Diego, marcando o terceiro gol.

O gol acabou com qualquer possibilidade de reação do Atlético. Ilan ainda perdeu um gol feito aos 35 minutos, mas foi o Criciúma quem conseguiu marcar. Aos 41 minutos, Diego cobrou tiro de meta e Gilmar Lima rebateu de cabeça. Marinho perdeu na corrida para Reinaldo, que invadiu a área e encobriu o goleiro, fazendo o quarto gol catarinense.

Aos 44 e aos 47, Ilan desperdiçou mais duas boas chances para marcar. O jogo acabou logo depois que Diego fez uma boa defesa, aos 48 minutos, salvando com os pés mais uma tentativa do Criciúma.

18ª rodada – Brasileiro – (24/07/04) – Criciúma 4 x 1 Atlético
L: Heriberto Hülse; H: 16h; A: Álvaro Azeredo Quelhas (MG); CA: Gilmar Lima (6′), Geninho (11′), Alex (16′), Luciano Almeida (48′), Paulo César (68′) e Fabiano (76′); P: 5.543; R: R$ 31.548,00; G: Gilmar Lima, aos 8, Alex, aos 15, e Marcão, aos 38 do 1°; Marcos Denner, aos 19, e Reinaldo, aos 41 do 2°.

CRICIÚMA: Fabiano; Alex, Gilmar Lima, Luciano e Luciano Almeida; Cléber Gaúcho, Geninho, Athos (Paulo César 66′) e Fernandinho (Saulo 89′); Reinaldo e Vagner Carioca (Marcos Denner 62′). T: Vágner Benazzi.

ATLÉTICO: Diego; Pingo, Igor (Ilan 63′), Marinho, Rogério Corrêa e Marcão; Alan Bahia, Fernandinho e Jadson (Morais 81′); Dagoberto e Washington. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…