29 jul 2004 - 0h23

Levir classifica jogo como “heróico”

O técnico Levir Culpi considerou que a vitória atleticana sobre a Ponte Preta por 4 a 0 foi “heróica”. Ele utilizou o termo para demonstrar sua gratidão ao esforço individual dos atletas, que tiveram de se desdobrar depois que Dagoberto foi expulso e o Atlético ficou com um jogador a menos.

A entrevista coletiva do treinador foi muito tranqüila, ao contrário da última, logo após a vitória sobre o Fluminense. Confira as principais declarações:

JOGO HERÓICO
“Nós podemos dizer que foi um jogo heróico por parte dos atletas. Foi algo que emocionou. Fiquei muito impressionado com a reação física do grupo e com a busca pela vitória. Tivemos algumas modificações, mas fizemos um grande jogo.”

ARBITRAGEM
“Continuamos preocupados com a arbitragem. No primeiro tempo, a Ponte Preta fez 16 faltas e levou 4 amarelos. No segundo tempo, tivemos um jogador expulso. Então, algo está errado. Foi uma situação parecida com a do Criciuma, mas felizmente os jogadores passsaram por cima de tudo.”

TORCIDA
“É uma ótima oportunidade para agradecer a presença dos torcedores. Isso confirmou apenas o que eu já falei: quando a torcida joga com o Atlético, o time se torna um praticamente imbatível. O estádio é muito aconchegante, dá uma pressão muito forte no adversário. Nesse momento, quero agradcer o apoio porque ficamos numa situação perigosa, muito abertos.”

FORA DE CASA
“Não há como negar que nosso time tem de ter um aproveitamento um pouco melhor fora de casa se quiseremos atingir as primeiras posições.”

MARCÃO
“Nós observamos o Marcão nos treinamentos e ele já atuou uma temporada inteira jogando na quarta-zaga. São momentos que a gente opta por um jogador. Contra o Criciúma, ele foi muito firme. Fez um gol e participou do nosso segundo gol, que o juiz anulou errado. Era um jogador que estava em alta. Ele é muito rápido e tem uma bola aérea boa. Por isso, resolvemos apostar nele e ele foi um dos melhores em campo.”

PONTE PRETA
“A Ponte nunca ficou numa situação muito favorável para marcar. Eles só tiveram algumas situações em bola parada. Jogando, eles tiveram uma ou duas situações em 90 minutos. E olha que foi um jogo em que tivemos um a menos durante um bom tempo. A Ponte joga num sistema muito sólido e sai nos contra-ataques. Não é a toa que estava na primeira posição do campeonato.”

ALÍCIO PENA JÚNIOR
“O maior problema do árbitro foi o dos critérios. O Atlético queria jogar, mas era impedido constantemente por faltas, trancos. Os jogadores estão se segurando há muito tempo. Nós tínhamos uma expulsão só até agora. É muito difícil você se controlar com a arbitragem e ainda prestar atenção no jogo. Até hoje, estávamos bem nesse aspecto. Mas hoje acho que a gente se perdeu emocionalmente.”



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

General é General…

Estamos em franca recuperação no Campeonato Brasileiro, jogando um futebol melhor, criando oportunidades, mas perdendo gols e deixando de tomar gols, em um momento, importantissímo……