5 ago 2004 - 0h50

Levir Culpi: “não podia ser melhor”

O técnico Levir Culpi não poupou elogios à atuação do Atlético na noite desta quarta-feira diante do São Caetano. Após a goleada por 3 a 0, o treinador fez questão de ressaltar a aplicação de seus atletas e da disposição em vencer. Para ele, a equipe beirou a perfeição.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva:

CONFIANÇA
“Acho que não podia ser melhor. Houve muita aplicaçãao. O Atlético tem feito isso muitas vezes e hoje isso foi repetido. Fiquei muito feliz com o resultado e estamos todos entusiasmados para o próximo jogo. A vitória foi cristalina e dá uma força muito grande para o jogo contra o Vasco. Agora queremos casa cheia em Curitiba”

SURPRESA
“Esperávamos dificuldade maior nesse jogo, mas o time esteve firme e neutralizou o adversário. Vamos em frente com calma e pensando em chegar na ponta.”

MUDANÇAS
“Nós estudamos muito o São Caetano. Esse foi um dos jogos mais difíceis para montar o time. Normalmente, nós vamos ter uma variação de 2 a 3 jogadores, isso é normal. Dependendo do adversário, acho que essa mudança é importante. Foi o que aconteceu hoje e deu tudo certo.”

JOGO AÉREO
“Nós tomamos três gols de cabeça, um deles com bola em movimento contra o Cruzeiro e dois de bola parada. Em 21 jogos, é um índice muito bom pra bola aérea. Hoje nós neutralizamos o São Caetano, que tem uma jogada aérea muito forte.”

FELICIDADE
“Estamos dentro da expectativa, mas dá para ajustar muita coisa e podemos ser muito mais felizes”

ARBITRAGEM
“Nós estamos preocupados com a arbitragem. Os critérios da arbitragem são tendenciosos contra o Atlético há muitos jogos. Isso é muito estranho. Os jogadores estão se segurando ao máximo e essa situação está complicando. A diretoria está pedindo melhores arbitragens, mas não sei o que está acontecendo”

PRESSÃO
“Todos nós sofremos mais pressão dentro de casa. Eu já comentei sobre a torcida. Um pouquinho de paciência não faz mal a ninguém. Eu repito: se a torcida do Atlético estiver ao lado do time, vai ser muito difícil o time ser batido em casa”

OBJETIVO
“Nós pensamos alto, pensamos em chegar na ponta e temos um elenco capaz para chegar. Mas as dificuldades do campeonato são muito grandes, não dá para fazer previsão”



Últimas Notícias

Opinião

Pés no chão

                É impossível não ficar empolgado com o time novamente após o jogo de ontem. Com três vitórias seguidas, o 2×0 contra o Galo em…

Brasileiro

Pra cima, Athletico!

Athletico e Goiás fizeram o duelo dos desesperados do Campeonato Brasileiro. O Furacão tenta embalar após vencer o Fortaleza de virada na rodada passada e,…