5 set 2004 - 12h19

Defesa intransponível

Após cruzamento de Leonardo Moura pela direita, o atacante Mauro antecipa-se a Marinho e arremata, não dando chances ao goleiro Diego, a quem só restou buscar a bola no fundo da rede aos 43 minutos da segunda etapa na partida em que o Atlético venceu o Fluminense por 4 a 1, na 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Esse lance aconteceu no dia 21 de julho e foi o último gol que o Atlético sofreu na Arena da Baixada. Depois disso, foram realizados seis jogos no Joaquim Américo. O Furacão obteve vitórias sobre Ponte Preta (4 a 0), Vasco da Gama (2 a 0), São Paulo (1 a 0), Paysandu e Guarani (ambas por 2 a 0). Houve ainda o empate sem gols diante do Grêmio, em partida válida pela 20ª rodada.

Sem sombra de dúvida, o aproveitamento da defesa, a terceira melhor da competição com 28 gols sofridos em 28 rodadas, ajuda e muito na busca da liderança. As melhores defesas do campeonato são a do São Caetano e Palmeiras, que levaram 25 gols cada.

Justamente o setor que sofreu as maiores críticas na primeira metade da competição é o que está fazendo a diferença em favor do Rubro-negro. Em exatamente a metade das partidas até agora disputadas, a defesa não foi vazada e desde a entrada do lateral Marcão na zaga, o time levou apenas 3 gols e todos fora de casa, nos empates frente o Figueirense e Botafogo e na vitória no clássico Altetiba.

Todos os seis zagueiros que estão à disposição do treinador Levir Culpi já atuaram neste campeonato. A idéia inicial era formar com Rogério Corrêa, Fabiano e Marinho, mas as contusões dos dois últimos e as suspensões fizeram com que Levir tivesse que contar com o futebol dos reservas imediatos Igor e Alessandro Lopes. Mas a grande “descoberta” do técnico parece mesmo ter sido o deslocamento do ala Marcão para a defesa.

A torcida atleticana tem reconhecido o bom desempenho da defesa. Prova disso é o fato de que três dos sete troféus Furacao.com entregues neste ano foram para jogadores do sistema defensivo. Diego foi o vencedor em abril, Marinho ganhou em julho e Rogério Corrêa foi eleito o melhor de agosto.

Por outro lado, os outros setores do time também não estão decepcionando. A velha máxima do futebol de que o ataque é a melhor defesa se aplica bem ao caso do Furacão. O Rubro-negro é o terceiro time que mais fez gols, com 48 tentos até o momento, atrás apenas do co-líder Santos ,com 66 e do Goiás, com 56 gols. Prova de que o equilíbrio é que vem fazendo a diferença neste equilibrado campeonato.

Reportagem: Juarez Villela Filho, do Conteúdo da Furacao.com



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Novo “Timoneiro”

Sim.. Estava na cara.. Eduardo Barros, apesar de muito promissor e ser Sim, um nome para treinar a equipe rubro negra.. Ainda estava “Cru” e…