19 set 2004 - 19h32

Furacão Ivan é o nosso

O Atlético não começou bem o jogo. Sem Fabiano e Rogério Corrêa, suspensos, a zaga bateu cabeça nos primeiros minutos. A primeira chance do Cruzeiro foi aos 5 minutos. Sandro cruzou da direita e Wendel subiu livre para cabecear, mas Diego fez firme defesa. Três minutos depois, Jussiê driblou Bruno Lança na ponta-esquerda e cruzou para a área. Marcão ficou pedindo impedimento e não saltou. Guilherme aproveitou a falta de marcação e cabeceou no cantinho de Diego, que chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol.

Envolvido, o Furacão não conseguiu encaixar sequer um contra-ataque, sua jogada mais perigosa. Só ameaçou entre os 13 e os 15 minutos, com duas faltas consecutivas na entrada da área. Na primeira, Jadson acertou a barreira. Na segunda, Washington tentou de longe, mas chutou em cima da zaga.

O time da casa respondeu aos 21 minutos, em uma linda jogada de toques envolventes que acabou com uma conclusão de Sandro. Quase na risca da pequena área, ele chutou com força e colocado, mas Diego fez sua defesa mais bonita neste Campeonato Brasileiro. Mostrando agilidade e elasticidade, esticou o braço e mandou para escanteio.

O Atlético só começou a ser efetivo nos dez minutos finais do primeiro tempo – e foi o suficiente para o empate. Aos 36, Washington recebeu lindo passe de Alan Bahia e ficou cara a cara com Artur, mas perdeu a passada da bola e chutou em cima do goleiro. Na cobrança do escanteio, Marcão chutou para o gol e Sorín salvou em cima da linha. Aos 39, Marcão cruzou mal da esquerda, mas Artur errou e soltou a bola no pé de Washington. O artilheiro perdeu a segunda boa chance: concluiu fraco e Gladstone salvou em cima da risca.

A pressão atleticana surtiu efeito nos minutos finais. Sorín cometeu falta em Fernandinho e recebeu cartão amarelo. Na cobrança, o mesmo Sorín segurou Washington na área e impediu que ele concluísse para o gol. Pênalti bem marcado pela arbitragem e cartão amarelo seguido do vermelho mostrado a Sorín. Na cobrança, já aos 46, Washington bateu com categoria, no canto esquerdo de Artur, que saltou para a direita.

Adaptado, Furacão envolve e arrasa

A ótima atuação atleticana nos minutos finais do primeiro tempo foi mantida na etapa final. Jogando bem melhor que o Cruzeiro, o Rubro-negro chegou com perigo logo aos 4 minutos, quando Dagoberto foi derrubado na área. Porém, o árbitro não marcou o pênalti.


Atlético deu um baile no segundo tempo (foto: site do Cruzeiro)

Dois minutos depois, Jadson recebeu na meia-direita e inverteu o jogo, descobrindo Ivan na entrada da área. O árbitro Paulo César de Oliveira ainda teve de se abaixar para não atrapalhar a jogada. Ivan dominou e chutou cruzado, com força e precisão, marcando um golaço e virando o jogo.

O baile atleticano continuou. No minuto seguinte, sem deixar o Cruzeiro respirar, o Furacão chegou ao terceiro gol. Dagoberto fez boa jogada na ponta-direita e tocou para trás. Gladstone não conseguiu cortar e Jadson chutou forte, por cima, sem chances para o goleiro Artur.

O Cruzeiro tentou reagir, mas parou em boas defesas de Diego. Aos 30 minutos, Dagoberto driblou Augusto Recife na ponta-esquerda, invadiu a área e foi derrubado por um carrinho de Maldonado. Desta vez, Paulo César marcou o pênalti. Washington bateu alto no meio do gol e marcou seu segundo gol na partida.

Nos minutos finais, o Cruzeiro voltou ao ataque. Jussiê e Sandro tentaram aos 35 e aos 36, mas Diego fez boas defesas. Aos 40, Fred recebeu na área e bateu cruzado, descontando para o time da casa. Mas a reação parou aí e o Atlético conseguiu mais uma excelente vitória no Brasileirão.

Saiba mais:
Análise do jogo, por Rogério Andrade

31ª rodada – Brasileiro – (19/09/04) – Cruzeiro 2 x 4 Atlético
L: Mineirão; H: 18h; A: Paulo César de Oliveira (SP); CA: Gladstone (9′), Alan Bahia (23′), Marcão (27′), Sorín (43′), Wendel (54′), Augusto Recife (56′), William (62′), Bruno Lança (74′) e Dagoberto (79′); CV: Sorín (44′); P: ; R: R$ ,00; G: Guilherme, aos 8, e Washington, aos 46 do 1°; Ivan, aos 6, Jadson, aos 7, Washington, aos 31, e Fred, aos 40 do 2°.

CRUZEIRO: Artur; Alessandro (Fred 56′), Gladstone, Marcelo Batatais e Sorín; Augusto Recife, Maldonado, Wendel e Sandro; Jussiê e Guilherme (Leandro int). T: Marco Aurélio.

ATLÉTICO: Diego; Fernandinho, Marinho, Bruno Lança, Marcão (Igor 79′) e Ivan; Alan Bahia (Pingo 68′), William (Raulen 74′) e Jadson; Dagoberto e Washington. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Time voando baixo

Foi um “Passeio”, o time comandado por Eduardo Barros, deu aula… Os meninos Christian e Erick, comando meio de campo, Wellington o “maestro” regendo a…

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…