7 nov 2004 - 15h09

No peito, na raça e no último minuto

O Atlético derrotou o Fluminense por 2 a 1, de virada, em jogo disputado no Maracanã na tarde deste domingo. O gol da vitória atleticana saiu aos 48 minutos do segundo tempo, o que deu carga dramática ao jogo. Com o resultado, o Furacão retomou a liderança do Campeonato Brasileiro, com dois pontos de vantagem sobre o vice-líder Santos.

O Fluminense começou melhor, mantendo mais posse de bola e ameaçando com os rápidos atacantes Alessandro e Rodrigo Tiuí. Os jogadores atleticanos iniciaram a partida nervosos, errando muitos passes. A primeira boa jogada saiu aos 8 minutos, quando Pingo recebeu lançamento de Ivan na área e chutou prensado com a zaga.

Logo depois, aos 12, Washington teve uma excelente chance para marcar. Ele dominou lançamento de Jadson e driblou o goleiro Kleber, mas perdeu o tempo da bola e acabou errando no chute para o gol vazio e acertou a rede pelo lado de fora. As duas jogadas deram confiança ao Furacão, que passou a dominar a partida, atacando sobreduto pelo lado esquerdo.

Depois dos 20 minutos, o jogo voltou a ficar equilibrado e as duas equipes perderam boas chances. O Atlético quase marcou com Pingo, aos 21 e aos 34 e com Igor, aos 40 minutos. A conclusão do zagueiro, que chutou para por cima da trave com o gol vazio, foi a melhor oportunidade para o Rubro-negro abrir o marcador. Jadson cobrou falta na área, Fernandinho cabeceou para ótima defesa de Kleber e Igor se assustou quando o rebote veio nos seus pés.

Mas o Fluminense também ameaçou e desperdiçou oportunidades com Tiuí, aos 20 e Alessandro, aos 31 e aos 43 minutos. O final da primeira etapa foi emocionante. Denis Marques protagonizou duas boas jogadas aos 45 minutos. Primeiro, recebeu passe de Washington, mas se atrapalhou ao ajeitar a bola e deixou o artilheiro nervoso. Logo depois, conseguiu deixar para Fernandinho, que conseguiu tocar para Jadson mesmo caído. O meia chutou de fora da área, mas sem direção.

No último minuto, já nos acréscimos, o Fluminense reclamou de um suposto pênalti de Alessandro Lopes sobre Alessandro. "Foi uma trombada normal de jogo", explicou o zagueiro atleticano no intervalo da partida.

Virada sensacional

O jogo esfriou no início da segunda etapa, com as equipes evitando um desgaste muito grande. A disputa só começou a pegar fogo de novo quando o Fluminense abriu o marcador, aos 7 minutos. Depois de cobrança de escanteio da esquerda, os tricolores levaram a melhor na disputa da bola aérea e Antonio Carlos foi esperto para pegar a sobra e desviar para gol com o pé direito.

Imediatamente, o técnico Levir Culpi sacou o zagueiro Alessandro Lopes e colocou Raulen em seu lugar, passando Fernandinho para o meio e mudando o esquema tático para o 4-4-2. Os minutos depois do gol do Fluminense foram difíceis para o Atlético, que buscava o ataque de forma desordenada e nervosa. O sufoco diminuiu aos 18 minutos, quando Denis Marques tabelou com Raulen na direita e cruzou rasteiro, na medida para Washington tocar para o fundo da rede.


Fabiano ficou sozinho na zaga no final do jogo (foto: Fotocom)

Aos 23 minutos, o Furacão teve a grande chance de desempatar. Fernandinho acionou Denis Marques, que invadiu a área, esperou o goleiro Kleber sair e tocou de direita. A bola passou raspando a trave e não entrou por centímetros. O lance acordou o Atlético. Dois minutos depois, Fernandinho fez jogada sensacional e só foi parado com um pontapé violentíssimo do zagueiro Odvan, imediatamente expulso.

Com um atleta a menos, o Fluminense recuou ainda mais e o Atlético partiu para sufocar o adversário. Foi um festival de gols perdidos. Aos 33, Jadson chutou forte para ótima defesa de Kleber. Aos 35, Fernandinho recebeu de Washington e chutou por cima do gol. Aos 37, o artilheiro ajeitou para Pingo, que chutou prensado com a zaga. Aos 43, Pingo recebeu no meio da área, livre, ajeitou a bola no peito e chutou mascado, perdendo a melhor de todas essas chances.

Só um milagre evitaria que o Fluminense segurasse o empate, mas a reza atleticana foi mais forte. Aos 48 minutos, no último lance, Washington recebeu lançamento na área, de costas para o gol. Ele girou em cima do zagueiro e tocou por cobertura na saída do goleiro Kleber. Antes de a bola entrar, Fernandinho cabeceou para o fundo do gol, colocando o Atlético novamente no lugar de onde nunca deveria ter saído: a liderança do Campeonato Brasileiro 2004.

Saiba mais:
Análise do jogo, por Ricardo Campelo

40ª rodada – Brasileiro – (07/11/04) – Fluminense 1 x 2 Atlético
L: Maracanã; H: 16h; A: Lourival Dias Lima Filho (BA); CA: Alessandro Lopes (18′), Mineiro (36′), Ivan (39′) e Igor (75′); CV: Odvan (70′); P: 4.320; R: R$ 52.056,00; G: Antonio Carlos, aos 7, Washington, aos 18, e Fernandinho, aos 48 do 2°.

FLUMINENSE: Kléber; Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Mineiro; Marcão, Marciel, Diego e Alan (Esquerdinha 88′); Alessandro e Rodrigo Tiuí (Mauro 29′) (Zé Carlos 73′). T: Alexandre Gama.

ATLÉTICO: Diego; Fernandinho, Alessandro Lopes (Raulen 54′), Fabiano, Igor (Dennys 85′) e Ivan (Ronildo 87′); Alan Bahia, Pingo e Jadson; Washington e Denis Marques. T: Levir Culpi.



Últimas Notícias

Libertadores

É bom rever você, Walter!

Foram necessários apenas oito minutos em campo contra o Jorge Wilstermann e um único chute a gol para uma história ser coroada com choro, abraços…

Fala, Atleticano

Foi épico

Assim, como o jogo de Santiago contra a Universidad Católica, estará para sempre na memória de qualquer atlheticano… O que aconteceu ontem na Bolívia, também..…