14 nov 2004 - 14h48

Derrota para o Tigre foi comemorada em 96

Uma derrota em casa do Atlético foi comemorada. Essa situação surreal aconteceu no Campeonato Brasileiro de 1996. Na última rodada da primeira fase, o Criciúma bateu o Furacão por 2 a 1, de virada, em pleno Estádio Joaquim Américo. Com o resultado, o Tigre escapou do rebaixamento para a Série B e o Atlético manteve inalterada sua posição na competição – terminou a fase em quarto lugar e se classificou para as quartas-de-final.

A derrota não teve gosto tão ruim porque acabou resultando no rebaixamento do Fluminense. Algumas rodadas antes, em um jogo nas Laranjeiras, o goleiro Ricardo Pinto foi covardemente agredido e o time do Atlético atravessou momentos de barbárie em pleno campo. Na última rodada do Brasileiro, o Flu perdeu para o Juventude por 1 a 0 e ficou com 22 pontos.

O Criciúma tinha 20 pontos e precisava ganhar para se salvar. No primeiro minuto, Paulo Rink abriu o marcador para o Rubro-negro. Depois, o Criciúma conseguiu a virada e se salvou, rebaixando o Fluminense. Ao final do jogo, ex-jogadores do Atlético, como os meias Marcão e Everaldo, foram até o alambrado e jogaram suas camisas para a torcida, em sinal de agradecimento.

Relembre como foi essa partida histórica:

23ª rodada – Brasileiro 96 – (24/11/96) – Atlético 1 x 2 Criciúma
L: Baixada; H: 16h; A: Antônio Vidal da Silva (GO); CA: Wilson e Nielsen; CV:: Paulo Henrique e Dedé; P: 16.348; R: R$ 178.360,00; G: Paulo Rink, a 1 e Marcão, aos 5 do 1°; Carlos Henrique, aos 21 do 2°.

ATLÉTICO: Ivan; Marcelo Silva, Reginaldo, Jorge Luiz e Branco; Dedé, Cleberton (Andrei 57′), Piekarski (Jorginho 83′) e Luiz Carlos; Oséas e Paulo Rink. T: Evaristo de Macedo.

CRICIÚMA: Rôni; Gílson, Wilson, Nielsen e Paulo Henrique; Marcão, Ivair, Leandro (Everaldo 63′) e Marco Aurélio; Tôni e Índio (Carlos Henrique 63′) (Clésio 86′). T: Sérgio Cosme.



Últimas Notícias

Opinião

E lá se vão 6 anos

O tempo passa. Completamos hoje 6 anos de Nikão no Athletico. Há exatos 6 anos recebíamos Maycon Vinicius Ferreira da Cruz, conhecido como Nikão. Quando…

Ao Sol e à Sombra

Caju

Dizem que onde o goleiro pisa, nunca mais cresce a grama. Mas no estádio Joaquim Américo, mesmo agora, com o gramado sintético, a grama é…

Fala, Atleticano

Pandemia x Pandético

Infelizmente em 2020 tivemos que conviver com esta pandemia, isolando jogadores e torcida, mas como reflexão sabemos que a cada dia que passa esta situação…

Fala, Atleticano

Planejamento

Alguns equívocos sucederam a saída de Thiago Nunes da equipe principal, razão pela qual da queda brutal no desempenho em campo, este recuperado parcialmente para…

Fala, Atleticano

O pior Atletiba que eu vi

Olha, foi “tenso” assistir o Clássico… Sóbrio , ver o jogo, nem pensar… Jesus, que “Show de Horrores” !!!! Uma equipe, tentando jogar apesar de…