24 nov 2004 - 9h34

Com fome de gols

Não é à toa que o Rubro-negro é conhecido como Furacão. O time de 1949 varreu seus adversários com uma campanha que somou 11 vitórias e 1 derrota (na última rodada, com o título já garantido). A linha de ataque formada por Viana, Rui, Neno, Jackson e Cireno fez 49 gols em 12 partidas, com uma incrível média de 4,08 gols por jogo.

Desde então, o Atlético se notabilizou por ter ataques fulminantes. Mesmo correndo o risco de cometer injustiça com grandes nomes que defenderam a meta atleticana como Caju, Laio, Picasso, Altevir, Roberto Costa, Marolla, Ricardo Pinto e mais recentemente com Flávio e Diego, não se pode negar que o Atlético sempre foi conhecido pela ofensividade.

Desde a dupla formada por Nilson Borges e Sicupira – até hoje o maior artilheiro da história atleticana com 154 gols -, passando por Washington e Assis no início da década de 80, e pela combinação perfeita da calma do baiano Oséas com o curitibano Paulo Rink, do inteligente Lucas até artilheiros que viveram um eterno caso de amor e ódio com a torcida como Kléber e Ilan, os ataques atleticanos sempre ficaram na memória do torcedor.

Aliás, no quesito artilharia, não há como não fazer menção a Alex Mineiro. O camisa 9 atleticano fez os 8 gols decisivos em 2001. A partir das quartas-de-final daquele Campeonto Brasileiro, Alex Mineiro, que se notabilizava mais pelas assistências e pelo toque de bola, marcou definitivamente seu nome na galeria dos grandes heróis atleticanos.

Mais craques

Hoje o ataque atleticano se ressente da ausência de uma de suas grandes estrelas, o jovem Dagoberto. Ele marcou 13 gols neste Brasileirão, além de ter feito várias assistências aos companheiros. Outro que anda fazendo bonito é o meia Jadson. Especialista em bolas paradas e passes precisos, o habilidoso camisa 10 atleticano também marcou 13 gols no certame.

Mas o grande destaque da atual fase do Atlético é o Coração Valente Washington. Basta lembrar que ele é o jogador que mais vezes balançou as redes adversárias em uma única edição do Campeonato Brasileiro.

Ao todo, o Furacão já contabilizou 84 gols, tendo atualmente o segundo melhor ataque da competição, atrás somente do vice-líder Santos, que fez 92 gols. Independentemente do resultado final do campeonato, o Atlético já fez valer a velha máxima do futebol, confirmada pelo eterno Telê Santana: "a melhor defesa é o ataque!"

Reportagem: Juarez Villela Filho, do conteúdo da Furacao.com



Últimas Notícias

Opinião

Libertadores, estamos aqui

Do alto da nossa sétima participação na Copa Libertadores da América, temos que reconhecer que já temos muita história para contar: da primeira participação, via…